DOE AGORA

Vladimir Herzog, 83 anos

Vladimir Herzog, 83 anos

Há exatos 83 anos, no dia 27 de junho de 1937, na Iugoslávia, em Osijek – hoje a quarta maior cidade da Croácia – nascia Vlado Herzog. Vlado era seu nome verdadeiro; Vladimir foi o modo que escolheu assinar porque lhe parecia menos exótico aos ouvidos brasileiros. No Brasil, fez amigos, família e construiu uma carreira profissional brilhante, bruscamente interrompida pelas forças de repressão que sustentaram o regime militar.

A história de Vladimir Herzog ficou conhecida de trás para frente. Primeiro, a comoção popular contra a prisão, a tortura e o assassinato de um jornalista. Depois, a versão oficial de um suposto suicídio. A partir de então – e até os dias de hoje – a incansável luta da família e de amigos pelo direito à verdade e à justiça.

Entre idas e vindas, são 45 anos de perguntas não respondidas. Uma delas, em especial, causa intriga particular neste momento: quem é, afinal, Vladimir Herzog?

Quem era esse jornalista cujo assassinato repercutiu mundialmente, revelando a perversidade do regime militar? Onde estão os textos que ele editou e escreveu? Como foi sua vida? Quem era esse pai, esse amigo, esse companheiro? O amante das artes, o desbravador dos audiovisuais, o pescador, o profissional intrigado com as potencialidades educativas das novas tecnologias, o observador das estrelas, o sonhador – facetas todas ofuscadas por uma morte prematura.

Graças à consolidação das políticas públicas de memória, verdade e justiça adotadas pelo Estado brasileiro desde o fim da ditadura, e às conquistas obtidas por essas iniciativas, hoje é possível revelar ao público esse intrigante mosaico de cores, memórias e afetos que compõem a trajetória interrompida de Vladimir Herzog e de tantos outros que sacrificaram as próprias vidas em defesa de um país mais justo e socialmente responsável.

Na intenção de juntar as peças dispersas desse quebra-cabeças, o Instituto Vladimir Herzog foi criado há exatos onze anos. Para além de cumprir essa missão de contar a nossa História – especialmente a mais recente, ocultada pela ditadura sob sistemática censura, o Instituto passou a almejar a transformação da cultura da sociedade para transformar as entranhas da própria sociedade.

Com o tempo, o trabalho passou a focar na formação dos valores do indivíduo, desde os seus primeiros anos de vida, buscando o respeito e a valorização da diversidade em todas as dimensões e a consciência dos direitos de todos os cidadãos.

Apesar disso, o Brasil e o próprio Instituto ainda precisam fazer muito no que diz respeito a contar a nossa história. O autoritarismo e a impunidade ainda são marcas da nossa sociedade e se traduzem, por exemplo, na tolerância à violência de Estado, nos pedidos por uma nova intervenção militar, nos permanentes ataques aos movimentos sociais. Como se não bastasse, em plena democracia, cidadãos convivem com ações policiais e intervenções militares que têm características muito semelhantes às dos aparatos de repressão da ditadura que levaram à morte de Herzog.

O fato é que sem garantias de que todos tenham acesso ao direito à memória, à verdade e à justiça, o regime democrático não se fortalece. E é nosso dever atuar cotidianamente para que a democracia prospere.

Quem é Vladimir Herzog? Ele foi daqueles pessoas especiais, únicas e ímpares. Cujo trabalho em vida e legado nos inspira hoje. Ele está em cada um de nós que não nos contentamos com injustiças e não aceitamos relativizações ou questionamentos das gravíssimas violações de direitos humanos que marcaram a história do país e, infelizmente, reverberam em nossa sociedade até os dias de hoje.

Por isso, neste 27 de junho celebramos o legado e os 83 anos deste personagem tão importante na história do Brasil e que tanto nos inspira a seguirmos lutando para que a sociedade mantenha sua capacidade de indignação e sua ação transformadora.

E por isso temos a convicção de que Vladimir Herzog permanece vivo. Muito vivo.

Por meio do Instituto, do Prêmio, do Centro Acadêmico, da Praça e das ruas que levam seu nome. E por meio de tantos outros espaços, eventos, instituições, filmes, livros, exposições e iniciativas diversas que homenageiam e resgatam a memória de um período tão cruel, tão triste, mas tão importante na história do país.

A luta continua.

Vladimir Herzog, 83 anos. Presente!

You, my friend, are a big organism get amoxicillin online no prescription as an adult human, you have three to four pounds of beneficial bacteria and yeast living within your intestines where to buy amoxil. You, my friend, are a big organism buy ampicillin no prescription some scientists have linked non-steroidal, anti-inflammatory drugs (nsaids) such as naproxen and ibuprofen to the problem buy antibiotics without prescription back in the 1950s, two researchers in albany, new york, worked to develop an antimicrobial drug from a substance produced by a soil-based fungus. You, my friend, are a big organism order azithromycin online this practice not only possibly contributes to antibiotic resistance in humans buy baclofen no prescription. You, my friend, are a big organism buy ciprofloxacin no prescription however, every time you swallow antibiotics, you kill the beneficial bacteria within your intestines purchase neurontin online so, it should come as no surprise that weight gain counts as one of the telltale signs of antibiotic damage and subsequent yeast overgrowth.