DOE AGORA

Do Complexo do Alemão, Instituto Vladimir Herzog promove debate sobre ‘favelas, violências e doenças invisíveis’

Do Complexo do Alemão, Instituto Vladimir Herzog promove debate sobre ‘favelas, violências e doenças invisíveis’

Conversa será transmitida pela página do Quebrando o Tabu no Facebook a partir das 19h, atividade é uma realização do projeto Usina de Valores, lançado pelo IVH em março de 2018

O Instituto Vladimir Herzog, organização sem fins lucrativos que atua na construção de uma cultura de paz e respeito para o fortalecimento da democracia, realiza no próximo dia 21 de agosto o debate “Favelas, Violências e Doenças Invisíveis”, com o objetivo de visibilizar os impactos do racismo na saúde da população negra e periférica do Brasil. Transmitido online pela página do Quebrando o Tabu no Facebook a partir das 19h, a atividade é protagonizada pelo projeto Usina de Valores, lançado pelo Instituto em março de 2018 com foco no combate ao discurso de ódio.

Com mediação de Flávia Oliveira, jornalista e comentarista da Globo News, o bate-papo reunirá Júlia Rocha, médica e cantora; Lúcia Xavier, assistente social e coordenadora da ONG Criola; Mônica Cunha, Educadora e fundadora do Movimento Moleque; Preta Rara, rapper, historiadora e escritora; Mônica Cirne, fisioterapeuta e criadora do Instituto Movimento & Vida.

Em junho deste ano, dados divulgados pelo Atlas da Violência, mostram que 75,5% das vítimas de homicídio no Brasil são negras, é a maior proporção da última década. O estudo é realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a última atualização foi divulgada em junho de 2019. Em outra frente, levantamento do Ministério da Saúde e da UNB (Universidade de Brasília), publicado no começo de 2019, aponta que a cada dez jovens que se suicidam no Brasil, seis são negros.

Os indicadores são um reflexo de um cotidiano cada vez mais violento para a população que mora em regiões periféricas do Brasil. Por este motivo, o Usina de Valores escolheu transmitir essa conversa do Complexo do Alemão. Apenas em agosto, os noticiários trouxeram diversas notícias de mortes, operações e cancelamento de aulas neste território.

Presente no Complexo do Alemão desde 2018, o projeto considera urgente e necessário evidenciar a vida, a produção de conhecimento e a ocupação do espaço público a partir da favela. Nos últimos meses, o Instituto Vladimir Herzog tem promovido atividades formativas em parceria com organizações que atuam na região há anos, como o Raízes em Movimento e o Coletivo Papo Reto. Do início do projeto até hoje, centenas de pessoas foram envolvidas em cursos, oficinas e eventos.

A metodologia do Usina de Valores enaltece e respeita o saber a partir da teoria e da vivência, com foco em suscitar o diálogo e potencializar pessoas comprometidas em combater as violências históricas reproduzidas no Brasil, essencialmente relacionadas às questões de raça, gênero e território.

A transmissão pode ser acompanhada na página do Quebrando o Tabu no Facebook, dia 21 de agosto, a partir das 19h.

Serviço:
Debate ‘Favelas, Violências e Doenças Invisíveis’
Data: 21 de agosto
Debate transmitido na página Quebrando o Tabu, via Facebook, às 19h.