DOE AGORA

Instituto Vladimir Herzog repudia ataques a Patrícia Campos Mello

Instituto Vladimir Herzog repudia ataques a Patrícia Campos Mello

O Instituto Vladimir Herzog vem a público prestar solidariedade à jornalista Patrícia Campos Mello, que vem sendo alvo de ataques covardes após sofrer difamações em depoimento à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga o envio de “fake news” na campanha eleitoral de 2018.

A situação é gravíssima e completamente estarrecedora, e revela não somente a realidade instaurada no Brasil de perseguição a jornalistas e comunicadores que ousam denunciar irregularidades ligadas ao atual governo, mas também o machismo e a misoginia impregnados em nossa sociedade.

O Estado brasileiro e suas instituições não podem mais se omitir da obrigação de deter as afrontas que a democracia vem sofrendo e, neste caso, de garantir a proteção à vida de Patrícia Campos Mello.

Patrícia é uma das mais admiradas e respeitadas jornalistas do país, justamente por ter uma carreira pautada pela integridade e pela retidão no cumprimento do dever jornalístico. Tal trajetória, inclusive, lhe rendeu o Prêmio Especial Vladimir Herzog no ano passado, honraria concedida aos profissionais da imprensa que se destacam por prestar relevantes serviços às causas da democracia, da paz e da justiça.

Não podemos mais aceitar este cenário de ataques covardes e sistemáticos a jornalistas, comunicadores, adversários políticos, movimentos sociais, organizações da sociedade civil e a todos que fazem críticas ou, de alguma forma, se opõem ao atual governo.

As agressões a Patrícia se intensificaram após o deputado federal Eduardo Bolsonaro reproduzir no plenário da Câmara e em redes sociais insinuações comprovadamente mentirosas contra a jornalista.

É, portanto, dever do Supremo Tribunal Federal e do Congresso Nacional responsabilizar o deputado e o depoente Hans River do Nascimento por suas declarações mentirosas e por gerarem no país um clima de perseguição que nos remete a tempos demasiadamente sombrios para serem recordados ou revividos.

Há mais de dez anos, o Instituto Vladimir Herzog – entidade que leva o nome de um cidadão brutalmente torturado e assassinado por fazer jornalismo – trabalha para fazer com que a sociedade se mobilize contra aventuras e delírios autoritários, tendo sempre como norte a defesa pela democracia, pelos direitos humanos e pela liberdade de expressão.

Por tudo isso, reafirmamos nossa missão de cultivar e defender a livre circulação de ideias e reforçamos nosso compromisso em reagir a cada tentativa de cerceamento da liberdade de expressão.

Repudiamos veementemente o ataque a Patrícia Campos Mello e colocamos todos nossos esforços, ações e redes à disposição para impedir a perpetuação de ataques e perseguições deste tipo.