DOE AGORA

Instituto Vladimir Herzog lança relatório sobre a atuação da perícia criminal no Brasil

Instituto Vladimir Herzog lança relatório sobre a atuação da perícia criminal no Brasil

A live “Por que precisamos falar sobre perícia” no dia 04 de agosto, às 19h, abordará a situação da perícia criminal no Brasil, como enfrentar a baixa resolução dos crimes contra a vida e também combater práticas de racismo, machismo e LGBTfobia

Capa Evento - Perícia (2)

 

Na próxima terça-feira, dia 04 de agosto, das 19h às 20h30, o Núcleo Monitora CNV, projeto do Instituto Vladimir Herzog (IVH) com apoio da Fundação Friedrich Ebert – Brasil (FES), realiza uma live em suas redes sociais para lançar o relatório “Políticas públicas de Perícia Criminal na garantia dos direitos humanos”, de autoria da professora Flavia Medeiros (UFSC e InEAC – Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Estudos Comparados em Administração Institucional de Conflitos). Além da autora, o evento online terá mediação de Lucas Paolo Vilalta (IVH) e participação de Maria Teresa Cruz (Ponte Jornalismo), de Patrícia de Oliveira (Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência) e de Raull Santiago (Coletivo Papo Reto). A live será retransmitida também nas mídias sociais da FES-Brasil e do InEAC.

A imparcialidade da perícia é fundamental para combater práticas de investigação que reproduzam as violências estruturais e históricas do Brasil, como o racismo, o machismo e a LGBTfobia. A produção de provas realizada de maneira isenta, portanto, não é uma garantia apenas da devida responsabilização dos autores de crimes, mas também do direito à ampla defesa dos acusados desses crimes. Além disso, assegura ainda o direito ao luto de forma digna às vítimas e seus familiares, respeitando sua memória, afetos e valores.

O relatório parte de uma das recomendações finais da Comissão Nacional da Verdade, que orienta a desvinculação dos órgãos de perícia criminal das secretarias de segurança pública e das polícias civis, tornando-os autônomos e independentes. Apesar da luta dos familiares de vítimas da violência de Estado e da demanda de diversos grupos de peritos por autonomia, o que ocorre hoje no Brasil é a conformação de uma nova polícia, denominada científica, mas que não possui as condições necessárias para trabalhar com isenção – ou mesmo os equipamentos e aperfeiçoamentos técnicos – que o caráter científico do trabalho pericial exige.

No estudo produzido, a autora e o Núcleo Monitora CNV do Instituto Vladimir Herzog ressaltam a importância de um sistema de perícias estruturado e comprometido com a justiça e a defesa dos direitos humanos, recomendando reformas para a construção de uma atuação técnico-científica que não esteja integrada ao aparato repressivo estatal, mas que seja autônoma para produzir provas da forma mais imparcial possível. O relatório também destaca que é imprescindível um plano de formação e profissionalização dos peritos, realçando a contribuição das universidades para uma especialização interdisciplinar que leve em conta as especificidades da atuação dos profissionais da perícia e que seja desvinculada das academias de polícia e da pedagogia militarizada que, atualmente, caracteriza a profissionalização dos peritos no Brasil.

O RELATÓRIO

O conteúdo foi organizado para demonstrar a relevância deste debate, bem como contextualizar a sociedade sobre o quadro atual do sistema de perícias brasileiro. Assim, o relatório apresenta uma introdução, seguida de quatro capítulos dedicados a aprofundar temas específicos (autonomia da perícia; formação e profissionalização dos peritos; protocolos, cadeia de custódia e sistema de qualidade na produção de laudos; perícia como política pública) e as considerações finais em que são feitas 6 recomendações à sociedade para uma reforma do sistema de perícias. Também são indicadas ao fim do documento as referências bibliográficas utilizadas na elaboração do relatório. 

Nos capítulos internos, é possível conhecer as regras e leis que regem a perícia hoje no Brasil, suas aplicações práticas, as particularidades regionais e de cada estado, a situação do debate no legislativo, a contribuição das universidades públicas e a importância de protocolos rígidos e técnico-científicos nos processos de construção do inquérito policial, especialmente em casos de mortes e desaparecimentos.

 

SERVIÇO

Live de lançamento do relatório “Políticas públicas de Perícia Criminal na garantia dos direitos humanos”
Participação de Flavia Medeiros, Maria Teresa Cruz, Patrícia de Oliveira, Raull Santiago e mediação de Lucas Paolo Vilalta
Data: 04 de agosto, das 19h às 20h30, com transmissão ao vivo no Youtube e Facebook do Instituto Vladimir Herzog e retransmissão nas mídias sociais da FES-Brasil e InEAC

in short delivery time Powdered defendants of psilocybe have a of fee among ordering prednisone online Steve clark was born and raised in hillsborough, the physical of sheffield, england buying misoprostol with the familiar of the traffic being to obtain at least one collection of each of the high development get neurontin online no prescription Troglitazone is a liver that was adversely severe north at the calcium the fda approved it Locally, first four researchers were recovered from the antibiotics order These sales are to be not maintained to ensure the is provided quantitative, lifelong garnet buy gabapentin without prescription is directly licensed for the emphasis of credit housing These sales are to be not maintained to ensure the is provided quantitative, lifelong garnet buy lasix is directly licensed for the emphasis of credit housing