DOE AGORA

Exposição “Para Respirar Liberdade” será inaugurada no Sesc Bauru no dia 15 de janeiro

Exposição “Para Respirar Liberdade” será inaugurada no Sesc Bauru no dia 15 de janeiro

Em comemoração aos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, obras de Otávio Roth serão expostas no Sesc Bauru em parceria do Instituto Vladimir Herzog com o Sesc São Paulo

Na próxima quarta-feira, 15 de janeiro, a exposição “Para Respirar Liberdade – 70 Anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos” chegará ao Sesc Bauru, em uma continuação da parceria do Instituto Vladimir Herzog com o Acervo Otávio Roth e o Sesc São Paulo – a mostra itinerante passou pelo Sesc Bom Retiro em 2018 e depois pelo Sesc Jundiaí em 2019.

Com obras do artista plástico e ativista político Otávio Roth (1952-1993), internacionalmente reconhecido por sua atuação voltada ao tema dos Direitos Humanos, a exposição no Sesc Bauru ficará em cartaz até o dia 14 de junho, com visitação de terça a sexta, das 13h30 às 21h30.

A Declaração é um documento ilustre aprovado pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948, que estabelece direitos básicos e comuns a todos os seres humanos. Composta por 30 artigos, ela surge como uma resposta às atrocidades cometidas ao longo da Segunda Guerra Mundial, crimes contra a humanidade – como a perseguição de minorias, práticas de tortura e genocídio – que levaram milhares de cidadãos à morte em atos de barbárie e selvageria.

A Declaração propõe, portanto, um pacto de civilidade entre as nações e apresenta os requisitos indispensáveis para a manutenção da dignidade humana em todos os países do globo. Setenta anos depois, a exposição ‘Para Respirar Liberdade’ reitera a importância e a urgência dos princípios declarados na carta, buscando que seus visitantes reflitam sobre o contexto político de inúmeros retrocessos de direitos sociais no Brasil.

A exposição reunirá obras de Otávio Roth, entre elas a icônica representação gráfica dos 30 artigos da Declaração, produzidos em xilogravura de grandes dimensões sobre papel artesanal confeccionado pelo próprio artista. Desde 1981, três álbuns da mesma série estão em exposição permanente nas sedes da ONU de Nova Iorque, Genebra e Viena. Com curadoria de Fábio Magalhães e Isabel Roth, a mostra contará também com a montagem da instalação “População II”, livremente inspirada em “População” (1988) e “O Jardim” (1989), e com a instalação itinerante de arte participativa “A Árvore” (1990), cuja montagem mobilizou diretamente 70 mil crianças brasileiras apenas este ano.