DH Fest – Festival de Cultura em Direitos Humanos

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
1º DH Fest - Mulheres e resistência: narrativas para romper silêncios
1º DH Fest - Aldeias, quilombos e periferias: o poder das palavras na luta por direitos
1º DH Fest - Vladimir Herzog e o documentário social: memória e justiça
1º DH Fest - Somos a terra: os direitos da natureza e o futuro da humanidade

A luta das mulheres, a resistência quilombola e indígena e as desigualdades sociais são alguns dos temas ligados aos Direitos Humanos abordados pelo DH Fest – Festival de Cultura em Direitos Humanos, cuja primeira edição aconteceu entre os dias 7 e 14 de março de 2021. Com uma mostra de filmes brasileiros, performances musicais e um ciclo de debates, o festival – totalmente online e gratuito – propõe aliar arte e reflexão.

O Instituto Vladimir Herzog, desde sua criação em 2009, sempre acreditou na cultura e na arte como caminhos potentes e oportunos para refletirmos sobre a democracia brasileira e a situação dos direitos humanos no país. Em nossa missão de promover uma cultura de paz, de diálogo e de respeito à dignidade humana, realizamos dezenas de projetos culturais, como concertos e shows, peças, exposições, documentários, edições de livros e outras publicações.

Por meio das obras, trabalhos e diálogos de sua programação, o DH Fest pretende contribuir para o fortalecimento do acesso à cultura como um importante processo de cidadania. Em parceria com o Sesc São Paulo, realizamos a curadoria do ciclo de debates, em que participaram personalidades como o fotógrafo Sebastião Salgado, a romancista Conceição Evaristo, o escritor indígena Ailton Krenak e a cineasta Tata Amaral. A programação musical contou ainda com os artistas Chico César, Tássia Reis, o coletivo Baile em Chernobyl e o rapper Kunumi MC.

A mostra de cinema trouxe 11 longas e 26 curta-metragens recentes, com diversos títulos inéditos comercialmente no Brasil, como “A Cordilheira dos Sonhos” do documentarista chileno Patrício Guzmán, vencedor do prêmio de melhor documentário no Festival de Cannes, e “Meu Nome é Bagdá”, de Caru Alves de Souza, melhor filme na mostra Generation 14Plus do Festival de Berlim. Confira a programação completa da primeira edição no site oficial do festival: https://dhfest.com.br

Realização: Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura, Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Pardieiro Cultural, Instituto Vladimir Herzog e Sesc São Paulo
Correalização: Criatura Audiovisual
Parcerias: Instituto Ethos, Jornalistas Livres, Mundo Pensante, Projetemos e Ação na Rua – SP
Curadoria: Leandro Pardí, Francisco Cesar Filho, Instituto Vladimir Herzog e Sesc São Paulo
Evento viabilizado através do Edital ProAC Expresso / Lei Aldir Blanc nº40/2020. As plataformas digitais parceiras são o Sesc Digital e a Innsaei.TV.

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email