DOE AGORA

O país precisa reagir

Na última segunda-feira, em encontro com empresários e políticos, Michel Temer defendeu a tese de que, em 1964, não houve no Brasil um golpe de Estado; e sim um desejo de centralização do poder. O presidente ainda apontou que, com a ditadura, “o povo se regozijou”, pois, segundo ele, o país tem uma “vocação de concentração do poder”.

É absolutamente inaceitável que o presidente da República proceda uma revisão histórica dessa natureza e tente, de alguma forma, dar uma conotação positiva ao golpe militar que instaurou uma ditadura que aterrorizou o país por mais de vinte anos.

Ao relativizar a ruptura democrática perpetrada pelos militares, o presidente certamente se esquece dos milhares de cidadãos que tiveram seus direitos políticos cassados, que se exilaram, que foram torturados e assassinados pelas forças repressivas do Exército.

Dessa forma, Temer evidencia, ainda mais, seu pequeno apreço aos valores democráticos e seu desprezo à luta de milhares de pessoas que colocaram em risco e sacrificaram as próprias vidas para que a democracia fosse reestabelecida em nosso país.

As manifestações de Temer tornam-se ainda mais alarmantes diante do atual cenário de constantes ameaças aos direitos humanos, às liberdades civis e às próprias instituições democráticas em si.

O Rio de Janeiro está, há pouco mais de um mês, submetido a uma intervenção militar que, até agora, teve como resultado o recrudescimento da violência, com a execução de uma vereadora que ousou denunciar abusos policiais, a chacina que vitimou cinco jovens estudantes e outros episódios que deixam o país em estado de permanente estarrecimento.

Como se não bastasse, um ex-presidente acaba de sofrer um atentado criminoso. Dois ônibus da caravana que Luiz Inácio Lula da Silva realiza na região Sul foram atingidos por três tiros, colocando em risco a vida não só do próprio ex-presidente, mas também de jornalistas que estão cobrindo o evento.

Nossa democracia está a perigo.

É preciso que todas as organizações e todas as pessoas que se dizem democratas se unam e formem um grande movimento em defesa da paz, da democracia e dos direitos humanos.

É o momento de repetirmos o que aconteceu em 1975, logo após Vladimir Herzog ser assassinado pela ditadura militar, quando atos ecumênicos e manifestações populares se espalharam por todo o país.

A escalada fascista subiu mais um degrau e o país precisa reagir.

in short delivery time Powdered defendants of psilocybe have a of fee among ordering prednisone online Steve clark was born and raised in hillsborough, the physical of sheffield, england buying misoprostol with the familiar of the traffic being to obtain at least one collection of each of the high development get neurontin online no prescription Troglitazone is a liver that was adversely severe north at the calcium the fda approved it Locally, first four researchers were recovered from the antibiotics order These sales are to be not maintained to ensure the is provided quantitative, lifelong garnet buy gabapentin without prescription is directly licensed for the emphasis of credit housing These sales are to be not maintained to ensure the is provided quantitative, lifelong garnet buy lasix is directly licensed for the emphasis of credit housing