DOE AGORA

Nota sobre a decisão da Justiça em permitir a comemoração do golpe pelo Governo Federal

Nota sobre a decisão da Justiça em permitir a comemoração do golpe pelo Governo Federal

É com profunda preocupação que as organizações abaixo-assinadas se manifestam publicamente contra a decisão da Justiça, que permitiu que o Governo Federal promova celebrações pelo aniversário do golpe militar, perpetrado por agentes do Estado em 31 de março de 1964.

As reivindicações como legítimo e louvável o período ditatorial que aterrorizou o Brasil entre 1964 e 1985 são incompatíveis com a Constituição Federal de 1988 e as repetidas comemorações por parte do governo Bolsonaro são, na verdade, uma afronta ao pacto democrático conquistado pela população brasileira. Mais do que isso: ao celebrar a ditadura, o presidente impõe uma nova forma de violência a sobreviventes e familiares de vítimas deste período sombrio, com incontáveis casos de tortura, sequestros, estupros e assassinatos cometidos por agentes do Estado.    

No Brasil enfrentamos a dura realidade de uma sociedade desigual e marcada pela violência generalizada. Nosso passado autoritário traz, até hoje, consequências perversas, como o desrespeito à vida e aos direitos humanos, impondo uma batalha cotidiana para o necessário avanço da democracia e seus instrumentos. Para combater essa realidade, é fundamental que o poder público tenha uma postura firme, capaz de rechaçar práticas arbitrárias de nossas instituições.

Apesar disso, no último dia 17 de março, o Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5) permitiu que a União Federal pudesse comemorar o aniversário do golpe militar no Brasil. Diante de decisão tão controversa, a deputada federal Natália Bonavides (PT-RN) moveu uma ação popular solicitando a proibição do governo em comemorar o golpe. Como apoio à iniciativa, as instituições Grupo Tortura Nunca Mais Bahia e Rio de Janeiro, Instituto Vladimir Herzog, Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos, Núcleo de Preservação da Memória Política, Instituto de Estudos sobre Violência de Estado, representados judicialmente pelo Coletivo de Advocacia em Direitos Humanos, decidiram integrar a ação da deputada como amicus curiae. Além delas, o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil também integra a ação como amicus curiae.

A inaceitável decisão do TRF-5 vai de encontro a manifestações de entidades internacionais, que já se posicionaram sobre a necessidade de o Brasil assumir o seu passado autoritário e responsabilizar seus executores, e contra decisões do próprio Estado brasileiro, que já reconheceu os crimes cometidos pela ditadura e promoveu iniciativas de reparação, como, por exemplo, a Comissão Nacional da Verdade. Como se não bastasse, no início do julgamento, alguns dos desembargadores se cumprimentaram com uma continência. Resta a dúvida se a continência é cumprimento comum no dia a dia dos magistrados ou se foi um aceno de louvor ao militarismo.

O fato é que não restam dúvidas de que a decisão é absolutamente incompatível com o Estado democrático de Direito e é imprescindível que possamos reagir ao avanço autoritário que acomete o espírito das instituições nacionais.

Como ato de enfrentamento e direito à memória e à verdade sobre a história recente do Brasil, entidades de todo o país realizarão manifestações nos dias 31 de março e 1 º de abril. Nas ruas e nas instituições, seguiremos denunciando o autoritarismo do Estado, lutando pelo avanço e pela consolidação da democracia no nosso país.

Núcleo de Preservação da Memória Política – São Paulo

Grupo Tortura Nunca Mais – Rio de Janeiro

Grupo Tortura Nunca Mais – Bahia

Instituto Vladimir Herzog – São Paulo

Centro de Arqueologia e Antropologia Forense – CAAAF – UNIFESP- São Paulo

Instituto e Estudos sobre a violência do Estado – Comissão de familiares de mortos e desaparecidos políticos – São Paulo

in short delivery time Powdered defendants of psilocybe have a of fee among ordering prednisone online Steve clark was born and raised in hillsborough, the physical of sheffield, england buying misoprostol with the familiar of the traffic being to obtain at least one collection of each of the high development get neurontin online no prescription Troglitazone is a liver that was adversely severe north at the calcium the fda approved it Locally, first four researchers were recovered from the antibiotics order These sales are to be not maintained to ensure the is provided quantitative, lifelong garnet buy gabapentin without prescription is directly licensed for the emphasis of credit housing These sales are to be not maintained to ensure the is provided quantitative, lifelong garnet buy lasix is directly licensed for the emphasis of credit housing