DOE AGORA

Exposição “Para Respirar Liberdade – 70 Anos da DUDH” é prorrogada até 21 de abril

Exposição “Para Respirar Liberdade – 70 Anos da DUDH” é prorrogada até 21 de abril

A exposição “Para Respirar Liberdade – 70 Anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos”, parceria do Instituto Vladimir Herzog com o Sesc SP e o Acervo Otávio Roth, foi prorrogada até o dia 21 de abril de 2019. Inicialmente, a mostra ficaria até o dia 27 de janeiro. Em cartaz no Sesc Bom Retiro desde novembro de 2018, a exposição das obras do artista plástico e ativista político Otávio Roth (1952-1993), internacionalmente reconhecido por sua atuação voltada ao tema dos Direitos Humanos, já recebeu milhares de visitantes de todas as idades.

Confira abaixo a íntegra do texto produzido pelo IVH para o catálogo e algumas fotos da exposição.

—-

O Brasil é um país marcado por feridas históricas que nunca foram curadas. Com a ditadura militar, por 21 anos, nosso país conviveu com o horror da perseguição política, da censura à imprensa, da tortura e da morte de quem ousou se posicionar pela democracia. Não podemos esquecer deste passado. Um país sem memória perde a oportunidade de corrigir seus erros e de pensar seu futuro em termos de dignidade humana. O acesso à memória e à verdade é um direito. A memória coletiva de um povo é fundamental para a democracia.

Neste sentido, o Instituto Vladimir Herzog em parceria com o Sesc SP apresenta a exposição “Para Respirar Liberdade – 70 Anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos”, com obras do artista e ativista político Otávio Roth. A partir do trabalho delicado do artista, a mostra valoriza os princípios da Declaração, um documento histórico que precisa ser resgatado em meio ao contexto de acirramento da violência e do discurso de ódio. Aprovada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948, a Declaração é uma resposta aos crimes contra a humanidade cometidos ao longo da 2ª Guerra Mundial, atos de barbárie que levaram milhares à morte.

Setenta anos depois, acompanhamos inúmeros retrocessos dos direitos sociais, uma assustadora ascensão do fascismo e uma perversa criminalização dos direitos humanos. Não é possível admitir que tais violências sejam apresentadas como discursos legítimos. Em um momento tão frágil de nossa democracia, o Instituto Vladimir Herzog reforça sua missão na defesa dos Direitos Humanos e reafirma sua posição de luta por meio do diálogo e da valorização da cultura.

Acreditamos que a arte, especialmente quando engajada politicamente, é essencial para transformar a cultura de violência. É ela quem tem a potência de acessar o que há de mais humano em cada um de nós e de nos mobilizar para a construção coletiva de um mundo mais justo e digno. Esta exposição nasce em um momento crucial e esperamos que a força da obra de Otávio Roth possa nos inspirar para a resistência e para a defesa dos valores democráticos, abrindo caminhos para que todos e todas possam respirar liberdade.

Rogério Sottili
Diretor executivo do Instituto Vladimir Herzog

—-

Confira algumas fotos da montagem no Sesc Bom Retiro (créditos: Carolina Vilaverde/Instituto Vladimir Herzog):