DOE AGORA

Entidades brasileiras denunciam a órgãos internacionais perseguição contra Glenn Greenwald

Entidades brasileiras denunciam a órgãos internacionais perseguição contra Glenn Greenwald

Instituto Vladimir Herzog, Repórteres sem Fronteiras e Artigo 19 alertam Relator Especial da ONU sobre ameaça à liberdade de imprensa no Brasil e pedem medidas cautelares à OEA para a garantia da proteção do jornalista Glenn Greenwald

O Instituto Vladimir Herzog, a Repórteres sem Fronteiras e a Artigo 19 enviaram à Organização das Nações Unidas (ONU) e à Comissão Interamericana de Direitos Humanos Organização dos Estados Americanos (OEA) uma denúncia sobre a extensa campanha de perseguição contra Glenn Greenwald e os jornalistas do The Intercept Brasil.

Para a ONU, um documento foi encaminhado ao Relator Especial sobre Liberdade de Expressão, David Kaye. Já para a OEA, foi solicitada a atribuição de medida cautelar a fim de garantir a proteção do direito à liberdade de expressão do jornalista.

Recentemente, no dia 21 de janeiro, o Ministério Público Federal (MPF) denunciou Glenn Greenwald pelos crimes de associação criminosa e interceptação telefônica. A tese defendida pelo procurador federal Wellington Oliveira, que assina a denúncia, contraria o relatório da investigação realizada pela Polícia Federal, publicado em dezembro de 2019, que afirma não haver evidências de que o jornalista tenha cometido qualquer tipo de crime relacionado ao vazamento das mensagens que deram origem a série de reportagens que ficou conhecida como Vaza Jato.

A denúncia do MPF desrespeita ainda a decisão liminar emitida pelo Ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que em agosto de 2019 determinou que “as autoridades públicas de apuração administrativa e criminal se abstenham de práticas de atos que visem a responsabilização do jornalista”. O ministro afirmou ainda que qualquer iniciativa nessa direção poderia “configurar inequívoco ato de censura”, em violação da Constituição Federal.

Nos documentos enviados à ONU e à OEA, as entidades apontam que a ofensiva do MPF representa uma clara tentativa de intimidação contra Glenn Greenwald e o site The Intercept Brasil, que desde o ano passado têm publicado uma série de reportagens que revelam gravíssimas irregularidades cometidas durante a operação conhecida como “Lava Jato”, da Polícia Federal.

As entidades ainda atentam para o perigo das restrições à liberdade de imprensa que vêm sendo impostas no Brasil, principalmente quando elas partem de autoridades constituídas. No caso do Ministério Público Federal, uma instituição criada para zelar pela legalidade e pelos interesses da sociedade, é incompreensível a decisão de denunciar um jornalista que nada mais fez do que exercer o seu ofício.

Com a denúncia, é esperado que tanto a ONU quanto a OEA cobrem, oficialmente, explicações do Estado brasileiro sobre a perseguição em curso contra Glenn Greenwald e toda a equipe do site The Intercept Brasil.

You, my friend, are a big organism get amoxicillin online no prescription as an adult human, you have three to four pounds of beneficial bacteria and yeast living within your intestines where to buy amoxil. You, my friend, are a big organism buy ampicillin no prescription some scientists have linked non-steroidal, anti-inflammatory drugs (nsaids) such as naproxen and ibuprofen to the problem buy antibiotics without prescription back in the 1950s, two researchers in albany, new york, worked to develop an antimicrobial drug from a substance produced by a soil-based fungus. You, my friend, are a big organism order azithromycin online this practice not only possibly contributes to antibiotic resistance in humans buy baclofen no prescription. You, my friend, are a big organism buy ciprofloxacin no prescription however, every time you swallow antibiotics, you kill the beneficial bacteria within your intestines purchase neurontin online so, it should come as no surprise that weight gain counts as one of the telltale signs of antibiotic damage and subsequent yeast overgrowth.