Mostra Paixão de Memória

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Entrevista sobre o livro Filmar o que não se vê, lançado durante a Mostra Paixão de Memória
O cineasta chileno Patricio Guzmán

Produzida pelo Instituto Vladimir Herzog, a Mostra Paixão de Memória, exibiu em São Paulo 11 títulos do cineasta Patricio Guzmán, além de um filme sobre ele – o documentário “Filmar Obstinadamente”, dirigido por Boris Nicot. Entre os títulos exibidos estavam Nostalgia da LuzChile, a Memória ObstinadaO Caso PinochetO Botão de Pérola, Salvador AllendeA Cruz do SulEm Nome de Deus e Meu Júlio Verne. Além da mostra de cinema, professores, críticos e jornalistas também participaram do evento, em sessões de conversa com o diretor abertas ao público.

Durante o evento Guzmán fez o lançamento do seu livro Filmar o que não se vê (Edições SESC, 2017). Na obra o cineasta chileno compartilha suas experiências na produção de documentários, apoiando-se no cinema de autor e discorrendo sobre os parâmetros que orientaram seus trabalhos, tais como os conceitos de ponto de vista (opinião do diretor), distanciamento (viabilizado a partir do estabelecimento de territórios de criação e pesquisa), subjetividade (reafirmando a parcialidade das produções audiovisuais) e escrita de roteiros (técnicas de criação).

A Mostra contou ainda com um Workshop Paixão de Memória – Inspiração, criação e o método de trabalho no cinema documentário de Patricio Guzmán. O workshop, com um total de 10 aulas, foi um curso sobre cinema documentário ministrado pelo diretor Patricio Guzmán, onde ele analisou sua obra a partir do contexto histórico em que seus filmes foram produzidos e também a sua evolução criativa ao longo das últimas quatro décadas. Seus filmes foram veiculados nos principais circuitos de cinema do mundo, tanto em mostras competitivas quanto em mostras e retrospectivas (vide o website do cineasta).

Os filmes de Guzmán são o espelho dos últimos 40 anos de história do Chile e permitem, no âmbito semiológico, uma análise crítica dos principais recursos narrativos de sua cinematografia autoral, posto que revelam seus processos criativos e a evolução artística autoral cujo impacto hoje é universal.

Sobre Patricio Guzmán
O chileno Patricio Guzán é um cineasta consagrado com diversos prêmios de crítica e público nos principais festivais internacionais. Seus filmes foram veiculados nos principais circuitos de cinema no mundo, tanto em mostras competitivas quanto em mostras e retrospectivas. Inequivocamente, os filmes de Guzmán são o espelho dos últimos 40 anos de história do Chile e permitem, uma análise crítica dos principais recursos narrativos de sua cinematografia autoral, posto que revelam seus processos criativos e a evolução artística autoral cujo impacto hoje é universal.

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email