DOE AGORA

Mensagens de signatários do manifesto “Em Nome da Verdade”, de 1976

A pergunta feita foi: em que circunstâncias você assinou o documento? Por intermédio de quem o recebeu, onde trabalhava, que idade tinha etc.

Adélia Porto

Esperei conversar com o Luiz Cláudio Cunha, meu chefe na Veja à época, pra tentar lembrar alguma coisa. Me agrada reafirmar uma atitude de 50 anos atrás, mas não lembro nada das circunstâncias da assinatura. Só lembro que eram tempos muito complicados e tensos para se viver e trabalhar. O Luiz Cláudio me diz que eu, possivelmente, me encarreguei de falar com os colegas da Coojornal. Nem assim lembrei. 

Na época, eu tinha 30 anos. Pedro Maciel era também repórter e os fotógrafos eram Ricardo Chaves (Kadão) e Leonid Streliaev (Uda). Estes dois estiveram em diferentes períodos na Veja, não sei se ambos no ano de 76.

A sucursal da Abril, no centro da cidade, reunia as equipes de outras revistas. Maria Iara Rech era repórter de Exame e Divino Fonseca e JB Scalco, repórter e fotógrafo da Placar. Era um grupo bem coeso, do qual faziam parte os motoristas e grandes companheiros, os irmãos Aramis e Ubiraci Dias. Havia vários freelancers no grupo. Lembro dos fotógrafos Olivio Lamas e Silvio Ferreira. Assis Hoffmann havia sido o primeiro fotógrafo da Veja em Porto Alegre, mas nessa época não estava mais. 

O que lembro é mais ou menos isso. 

25/10/2020.