DOE AGORA

Em carta pública, peritos do RJ denunciam condições de trabalho e pedem autonomia funcional

Em carta pública, peritos do RJ denunciam condições de trabalho e pedem autonomia funcional

No último dia 04 de dezembro, data na qual se comemora o Dia Nacional do Perito Criminal, o Sindicato dos Peritos Oficiais do Estado do Rio de Janeiro (SINDPERJ) publicou, por meio de seu site, documento intitulado Carta Aberta à População Fluminense. O documento denuncia as atuais circunstâncias de atuação da Perícia Oficial no estado, em meio à falta de investimentos, de equipamentos de proteção individual para a atuação pericial durante a pandemia de Covid-19, a perda de materiais em estoque não utilizados devido ao vencimento do prazo de validade, entre outros pontos.

Frente a isso, a Carta aponta como resultado uma perícia fluminense “desestimulada e frustrada tanto por não conseguir oferecer um serviço adequado à população quanto por ser atacada por exigir o mínimo de dignidade em suas condições de trabalho, na valorização salarial, na reposição da defasagem de pessoal e em autonomia funcional”.

Assim, o SINDPERJ reivindica uma autonomia plena, que seja técnica, científica, funcional, administrativa e orçamentária, e afirma que não se furtará a denunciar “essa política de Estado que busca o enfraquecimento da prova pericial e do Estado Democrático de Direito”.

O documento completo pode ser acessado aqui.

Por que falar do trabalho da perícia criminal no Brasil?
Intimamente relacionado ao tema da atividade pericial estão os frequentes casos de crianças baleadas e mortas na Região Metropolitana do Rio. Também no último dia 04 de dezembro, as meninas Emily Victória Silva dos Santos, de 4 anos, e Rebeca Beatriz Rodrigues dos Santos, de 7 anos, foram mortas ao serem baleadas na porta de casa em Duque de Caxias. A família afirma que os tiros foram disparados por policiais. A Polícia Militar, entretanto, nega que agentes tenham efetuado disparos. 

Quem vai dar explicações? Mais uma vez a polícia vai investigar ela mesma e apresentar as provas que quiser?”, questionou Débora Maria da Silva, líder do movimento Mães de Maio, segundo o Alma Preta Jornalismo

Casos como esse evidenciam a urgência da reforma da perícia criminal no Brasil, como sugerido na 10ª recomendação do relatório final da Comissão Nacional da Verdade (CNV). O Instituto Vladimir Herzog tem pautado o tema a partir do Núcleo Monitora CNV, iniciativa que busca a implementação pelo Estado brasileiro das 29 recomendações da CNV. Trata-se de uma luta histórica de familiares dos mortos e desaparecidos pela violência de Estado e também das organizações da sociedade civil por Direitos Humanos.

A atuação do IVH nesse tema tem sido realizada conjuntamente à Fundação Friedrich Ebert (FES) Brasil, ao Sindicato dos Peritos Oficiais do Estado do Rio De Janeiro (SINDPERJ) e a mais de 10 outras entidades de classe e organizações de peritos oficiais e ciências forenses em todo o Brasil.

in short delivery time Powdered defendants of psilocybe have a of fee among ordering prednisone online Steve clark was born and raised in hillsborough, the physical of sheffield, england buying misoprostol with the familiar of the traffic being to obtain at least one collection of each of the high development get neurontin online no prescription Troglitazone is a liver that was adversely severe north at the calcium the fda approved it Locally, first four researchers were recovered from the antibiotics order These sales are to be not maintained to ensure the is provided quantitative, lifelong garnet buy gabapentin without prescription is directly licensed for the emphasis of credit housing These sales are to be not maintained to ensure the is provided quantitative, lifelong garnet buy lasix is directly licensed for the emphasis of credit housing