DOE AGORA

Diretor executivo do Instituto Vladimir Herzog, Ivo Herzog, concede entrevista à Revista Claudia

Diretor executivo do Instituto Vladimir Herzog, Ivo Herzog, concede entrevista à Revista Claudia

O filho de Vladimir Herzog entra na luta das mulheres que querem mais direitos

Por Patrícia Zaidan, da Revista Claudia

“Aponte um herói que lutou bravamente contra a ditadura militar no Brasil”, provoca o engenheiro Ivo Herzog, 48 anos, tomando o papel da entrevistadora. Respondo com o nome do pai dele, o jornalista Vladimir Herzog, torturado e morto nas dependências do II Exército, em 1975, num dos momentos mais sangrentos da história recente do país. Ele, então, corrige: “Não, o herói é a minha mãe, Clarice, que teve a coragem de enfrentar o regime, passou a criar, sozinha, dois filhos (além dele, o caçula, André) e, apesar das ameaças de morte, recusou a oferta da multinacional em que trabalhava para se mudar do país”. Na época, lembra, ela bancou: “Aqui é meu lugar, vou ficar até conseguir justiça”. A família ainda hoje briga para que sejam processados e punidos os responsáveis pelo assassinato. Com Ivo à proa.

Ele é apaixonado pelo que faz. Tanto que achou pouco seguir como engenheiro formado pela Universidade de São Paulo e mestre em gestão pela americana Michigan State University, com carreira confortável em grandes empresas. Há cinco anos, fundou o Instituto Vladimir Herzog, em São Paulo, do qual é diretor executivo. “Com isso, encerra-se o processo de só falar sobre a morte do meu pai, algo pesado para nós”, explica. “O foco é a celebração da vida, a construção de direitos, de justiça.” Nesse escopo, e com o entendimento de que as mulheres e mães das vítimas da ditadura são personagens de tenacidade e resiliência, Ivo dirigiu as baterias na defesa do gênero feminino. Até porque acredita que a humanidade melhora se as mulheres vão bem. Em novembro de 2014, promoveu o concerto Mulheres… Um Canto de Resistência, que reverenciou aquelas guerreiras, e pretende editar um livro com as principais histórias.

Para maio, prepara o 1º Seminário Internacional sobre a Cultura da Violência contra as Mulheres. Nos dias 20 e 21, o instituto reunirá na capital paulista 15 lideranças, de várias partes do mundo, em quatro painéis. Um deles questionará o porquê de mulheres ainda serem apedrejadas, sequestradas por terroristas, forçadas à circuncisão e a casar ainda crianças. Outro investigará o adolescente: “O que acontece na formação dele para, tão precocemente, considerar normal o homem bater na mulher?”, indaga Ivo. A propaganda e o entretenimento também estarão na berlinda. “Não combateremos o abuso sexual no metrô se a mídia continuar enfatizando que mulher é objeto de desejo.” E será discutido o papel do Estado na criação e no cumprimento de leis que “impeçam esse tipo de poder masculino”. Por fim, será lançada uma cartilha para distribuição em escolas, empresas e praças. “Ela vai atiçar as mulheres com perguntas como: ‘Por que você ganha menos que seu colega de trabalho? Fazer o jantar deve ser tarefa só sua?’ ”

Com mil projetos na cabeça, Ivo montou na ONG um setor que prepara professores para ensinar direitos humanos nas escolas. Criou um prêmio que incentiva jovens jornalistas a perseguir a verdade, recuperou jornais que se opuseram ao período da ditadura, de 1964 a 1985, e fez DVDs com relatos de profissionais que atuaram neles. Não podia agir diferente. “Aos 9 anos, no tumultuado enterro do meu pai e no ato ecumênico que atraiu milhões de pessoas à Praça da Sé, vi que minha vida não seria algo comum”. Há 40 anos ele reitera, todo dia e por onde anda, que o Brasil deve vigiar para que os anos de chumbo não se repitam.

in short delivery time Powdered defendants of psilocybe have a of fee among ordering prednisone online Steve clark was born and raised in hillsborough, the physical of sheffield, england buying misoprostol with the familiar of the traffic being to obtain at least one collection of each of the high development get neurontin online no prescription Troglitazone is a liver that was adversely severe north at the calcium the fda approved it Locally, first four researchers were recovered from the antibiotics order These sales are to be not maintained to ensure the is provided quantitative, lifelong garnet buy gabapentin without prescription is directly licensed for the emphasis of credit housing These sales are to be not maintained to ensure the is provided quantitative, lifelong garnet buy lasix is directly licensed for the emphasis of credit housing