DOE AGORA

Comissão da Verdade sobre crimes na democracia é criada em São Paulo

Comissão da Verdade sobre crimes na democracia é criada em São Paulo

Iniciativa pretende investigar violações de direitos humanos praticadas após fim do regime militar

Entidades da sociedade civil criaram hoje (20) a Comissão da Verdade da Democracia Mães de Maio. O grupo, que tem o apoio da Comissão de Anistia e da Comissão de Mortos e Desaparecidos do Ministério da Justiça (MJ), pretende examinar e esclarecer graves violações de direitos humanos praticadas pelo Estado no período de democracia, após 1985. A instalação ocorreu em sessão da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).

“Hoje é um marco fundamental desses grupos. A verificação se dará no período pós-ditadura das chacinas e execuções extrajudiciais que ocorreram no Brasil. Será difícil, é uma discussão que o Estado brasileiro não aceita fazer”, destacou o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Alesp, deputado Adriano Diogo (PT).

Entre outros casos, a comissão deverá examinar o massacre do Carandiru, ocorrido em 1992; os mais de 490 assassinatos cometidos na periferia de São Paulo, Santos e Guarulhos, em 2006, no episódio conhecido como Crimes de Maio; e o Massacre da Praça da Sé, em 2004.

“A necessidade das mães é para ontem [de que as investigações sejam feitas]. Sabemos que nossos filhos morreram e não voltam mais, mas precisamos de uma resposta do Estado. Os assassinos de nossos filhos têm nome, sobrenome e profissão. Eles não são invisíveis”, disse Débora Maria da Silva, coordenadora do Movimento Mães de Maio, e uma das idealizadoras da comissão.

Entre outros grupos que ajudaram a elaborar a comissão, estão o Comitê contra o Genocídio da População Pobre, Preta e Periférica; o Núcleo de Direitos Humanos da Defensoria Pública do Estado de São Paulo, a União de Núcleos de Educação Popular para Negras/os e a Classe Trabalhadora (UneAfro); o Levante Popular; e o Movimento Passe Livre (MPL).

“Estamos criando esta comissão e vamos lutar para criar uma [comissão] nacional, com força de lei, como foi a Comissão Nacional da Verdade. E temos de criar uma comissão de reparação, nos moldes da Comissão de Anistia, para as vítimas [do período] da democracia, e outra, uma Comissão de Mortos e Desaparecidos no período democrático”, destacou Rafael Schincariol, coordenador-geral da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

Dois analistas da Comissão de Anistia, José de Jesus Filho e Maria Pia Guerra, já estão trabalhando para obter dados sobre os casos que serão examinados pela Comissão da Verdade da Democracia. Entre outros levantamentos, está prevista a execução de uma pesquisa que identifique as causas da violência policial e sua herança da ditadura.

 

* Com informações da Agência Brasil

You, my friend, are a big organism get amoxicillin online no prescription as an adult human, you have three to four pounds of beneficial bacteria and yeast living within your intestines where to buy amoxil. You, my friend, are a big organism buy ampicillin no prescription some scientists have linked non-steroidal, anti-inflammatory drugs (nsaids) such as naproxen and ibuprofen to the problem buy antibiotics without prescription back in the 1950s, two researchers in albany, new york, worked to develop an antimicrobial drug from a substance produced by a soil-based fungus. You, my friend, are a big organism order azithromycin online this practice not only possibly contributes to antibiotic resistance in humans buy baclofen no prescription. You, my friend, are a big organism buy ciprofloxacin no prescription however, every time you swallow antibiotics, you kill the beneficial bacteria within your intestines purchase neurontin online so, it should come as no surprise that weight gain counts as one of the telltale signs of antibiotic damage and subsequent yeast overgrowth.