DOE AGORA

Nome histórico dos direitos humanos, Zilah Abramo morre aos 92 anos

Nome histórico dos direitos humanos, Zilah Abramo morre aos 92 anos

Conselheira do Instituto Vladimir Herzog desde a fundação do IVH, Zilah participou ainda da fundação do PT e, atualmente, presidia a Fundação Perseu Abramo.

O Instituto Vladimir Herzog lamenta profundamente a morte de Zilah Abramo – uma das figuras mais importantes na luta pela democracia na história do nosso país.

Zilah faleceu hoje, quinta-feira, aos 92 anos, em São Paulo. Conselheira do Instituto Vladimir Herzog desde a criação do IVH, em 2009, foi ainda fundadora do Partido dos Trabalhadores (PT) e, atualmente, presidia a Fundação Perseu Abramo.

A história de Zilah se confunde com a própria luta pela democracia, pelos direitos humanos e pela liberdade de expressão no Brasil.

“Zilah era, acima de tudo, uma guerreira. Para mim, pessoalmente, ela sempre foi uma grande inspiração. Sua história de vida e de luta jamais poderá ser esquecida por todos nós que, de todas as formas, lutamos pela democracia, pelos direitos humanos e pela liberdade de expressão no Brasil”.

Rogério Sottili, diretor executivo do Instituto Vladimir Herzog

Rogério Sottili, Zilah Abramo e Bia Abramo, em 2014.

Foi casada com Perseu Abramo, um dos mais relevantes nomes do jornalismo brasileiro. Depois, à frente da fundação que levava o nome de seu companheiro, viabilizou debates e iniciativas fundamentais para o fortalecimento da democracia no país.

Formada em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP), foi professora da Universidade de Brasília (UNB) e militou no Comitê Brasileiro pela Anistia (CBA).

Mesmo com certa idade, procurava estar sempre atualizada, participando e opinando sobre a agenda de direitos humanos.

Manifestamos nossos sentimentos aos amigos e familiares que perdem hoje uma grande inspiração na defesa por um mundo mais justo e democrático.

O velório será realizado nesta sexta-feira, 17 de agosto, das 9h às 15h no Funeral Home, à rua São Carlos do Pinhal, 376, em São Paulo. O enterro acontece às 17h no Cemitério Gethsêmani, no Morumbi.