DOE AGORA

Bernardo Kucinski é o vencedor do Prêmio Vladimir Herzog Especial 2018

Bernardo Kucinski é o vencedor do Prêmio Vladimir Herzog Especial 2018

O jornalista, escritor e cientista político Bernardo Kucinski foi escolhido para receber o Prêmio Vladimir Herzog Especial 2018. A homenagem é dedicada a jornalistas e personalidades com relevantes serviços prestados à Democracia, à Paz e à Justiça.

A Comissão Organizadora do 40º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos tem o prazer de anunciar o nome de Bernardo Kucinski como o escolhido para receber o Prêmio Vladimir Herzog Especial 2018.

A homenagem é, anualmente, dedicada a jornalistas e personalidades com relevantes serviços prestados à causa da Democracia, da Paz e da Justiça.

Já foram homenageados Lourenço Diaféria, Perseu Abramo, David de Moraes, Audálio Dantas, Elifas Andreato, Alberto Dines, Lúcio Flavio Pinto, Marco Antonio Tavares Coelho, Raimundo Pereira, Rubens Paiva, Sandra Passarinho, Eduardo Galeano, Daniel Herz, Cláudio Abramo, Mino Carta, Mauro Santayana, Elio Gaspari, Rose Nogueira, Tim Lopes e D. Paulo Evaristo Arns.

Bernardo Kucinski nasceu em São Paulo, em 1937. Era aluno do Instituto de Física da Universidade de São Paulo quando os militares deram o golpe em 1964. Logo se envolveu na resistência ao regime dentro do movimento estudantil uspiano.

A ligação com a USP se mantém intensa até hoje. Além do doutorado em Ciências da Comunicação, com uma tese sobre a atuação da imprensa alternativa no Brasil entre 1964 e 1980, Kucinscki é professor aposentado do curso de Jornalismo da Escola de Comunicação e Artes (ECA-USP).

Como jornalista, trabalhou em alguns dos principais veículos do país, como “Folha de São Paulo”, “Veja”, “Observatório da Imprensa”, além os já extintos “Gazeta Mercantil”, “Movimento” e “Opinião”.

Bernardo é irmão de Ana Rosa Kucinski, professora do Instituto de Química da USP e militante da Ação Libertadora Nacional (ALN), que em 1974 foi sequestrada pelo aparato de repressão do regime militar e, até hoje, é uma desaparecida política.

A busca incansável por Ana Rosa, inclusive, é o tema central de “K – Relato de uma Busca”, livro escrito por Bernardo em 2012 e que foi finalista dos prêmios São Paulo de Literatura e Portugal Telecom.

“K” foi o primeiro livro ficcional escrito por Bernardo. Mas antes disso, com duas não-ficções, ele faturou duas edições da mais tradicional honraria da literatura brasileira: o Prêmio Jabuti.

Foi ainda assessor da Presidência da República entre 2003 e 2005. Sua trajetória e sua obra exercem, até hoje, uma enorme influência no jornalismo e no estudo do jornalismo brasileiro.

A cerimônia de entrega do Prêmio Vladimir Herzog Especial 2018 a Bernardo Kucinski e a todos os vencedores da 40ª edição do Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos será no dia 25 de outubro de 2018, quinta-feira, às 20h, no Tucarena, em São Paulo. A entrada é gratuita e aberta ao público.