DOE AGORA

Fundação Carlos Chagas e Instituto Vladimir Herzog dão início ao Ciclo Memória e Verdade (2012)

Fundação Carlos Chagas e Instituto Vladimir Herzog dão início ao Ciclo Memória e Verdade (2012)

Instituição anuncia mais uma importante iniciativa do Projeto LivrosParaTodos, em parceria com o Instituto Vladimir Herzog


São Paulo, agosto de 2012
– Para celebrar a parceria entre as duas entidades, a Fundação Carlos Chagas e o Instituto Vladimir Herzog lançam o Ciclo Memória e Verdade, uma importante rodada de palestras com personalidades que vivenciaram o período de ditadura no Brasil. O ciclo é uma iniciativa do Projeto Livros ParaTodos, criado pela Fundação Carlos Chagas com o objetivo democratizar o acesso aos livros, incentivando a leitura e ampliando os acervos de bibliotecas pelo País.

No dia 31 de agosto, às 14h, o evento terá início em Heliópolis, São Paulo, no Centro de Convivência Educativa e Cultural de Heliópolis, com projeção do filme Vlado, 30 Anos Depois, seguido de debate com o diretor João Batista de Andrade. No decorrer do mês de setembro, diferentes palestras e debates darão continuidade ao evento no mesmo local.

“A principal missão do Projeto Livros ParaTodos é disseminar a educação, a cultura e a História por meio do estímulo à leitura. Por isso, somamos ao Projeto mais esta iniciativa, que contribuirá para a complementação de conteúdo histórico e político  para os brasileiros, tomando como referência acontecimentos da História recente do País”, declara Mariana Reimberg, gestora de projetos socioambientais da Fundação Carlos Chagas.

Ivo Herzog, diretor do Instituto Vladimir Herzog, lembra que a realização do ciclo de palestras será complementada pela doação do livro “As Capas desta História”, que traz à tona fatos e reflexões sobre o período da ditadura no País, para as caixas de livros do Projeto LivrosParaTodos. “Promover o resgate da memória e clarear fatos históricos de um País é um dos principais pilares para se construir uma sociedade mais justa e civilizada”, completa.

O evento contará com palestras de importantes personagens da História, conforme programação abaixo:

 

31/8 – João Batista de Andrade (cineasta) – Diretor do filme Vlado, 30 Anos Depois

4/9 e 11/9 – Professor Mario Sérgio de Moraes (Doutor em História Social) – Contextualização do período da ditadura;

8/9 – Sérgio Gomes (jornalista) – A imprensa durante a ditatura

25/9 – Fátima Pacheco Jordão (socióloga) – A contribuição feminina no período da ditatura

2/10 – Dr. Marco Antonio Rodrigues Barbosa (advogado) – Direitos Humanos

Serviço:

Evento: Ciclo Memória e Verdade

Data: 31 de agosto, 4,8,11 e 26 de setembro e 2 de outubro.

Local: Centro de Convivência Educativa e Cultural de Heliópolis (Pólo Cultural)

Endereço: Estrada das Lágrimas, 2385 – São João Clímaco – Heliópolis

Horário: 14h

Entrada: Gratuita

 

Sobre a Fundação Carlos Chagas

Fundada em 1964, é uma instituição privada sem fins lucrativos, dedicada à avaliação de competências cognitivas e profissionais e à pesquisa na área de educação. Com atuação em todo o território nacional, a Fundação Carlos Chagas já avaliou mais de 74 milhões de candidatos em processos seletivos de mais de 500 instituições privadas e públicas. Também atua em pesquisas e projetos na área educacional, feitos por equipes multidisciplinares, com o objetivo de investigar a relação da educação com os problemas e perspectivas sociais do País.

 

Sobre o Instituto Vladimir Herzog

A fundação do Instituto Vladimir Herzog, em 25 de Junho de 2009, inspirou-se na trajetória do jornalista, professor, cineasta e democrata assassinado pela ditadura em 1975, bem como nos valores fundamentais que defendia para o ser humano: democracia, liberdade, justiça social e direitos universais. Organização sem fins lucrativos e com neutralidade político-partidária, o Instituto atua para manter vivos esses valores e contribuir para a reflexão e produção de informações que os assegurem para todos.

O Instituto Vladimir Herzog busca atingir seus objetivos baseando suas ações em três pilares: Preservar: preservação da História do Brasil a partir do golpe de 1964 e com referência na história do jornalista Vladimir Herzog. Construir: promover, orientar e premiar trabalhos de Comunicação (Artes, Jornalismo, Cinema e Teatro) que abordem temas pertinentes a questões que afetam o direito da sociedade à vida e à justiça. Compartilhar: realizar palestras, debates, cursos e treinamentos, bem como publicar livros nas áreas relacionadas à Comunicação.

 

INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA

CDI Comunicação Corporativa