DOE AGORA

Exposição ReVelando destaca o trabalho de fotojornalistas durante a ditadura militar

Exposição ReVelando destaca o trabalho de fotojornalistas durante a ditadura militar

Soldado monta guarda em frente ao edifício do Congresso Nacional fechado dias antes, 13 de dezembro de 1968, com a edição do Ato Institucional Número Cinco, assinado pelo então presidente da República, marechal Costa e Silva. Foto Orlando Brito

Lançamento acontecerá na próxima terça-feira, dia 02 de outubro, no Centro Universitário Maria Antonia da USP

Com lançamento previsto para a próxima terça-feira (02/10), a exposição ReVelando, parceria do Instituto Vladimir Herzog com o Centro Universitário Maria Antonia (CEUMA), faz parte das ações e reflexões que acontecerão no prédio histórico da Universidade de São Paulo para marcar os 50 anos do evento conhecido como a Batalha da Maria Antonia. A mostra está inserida na programação Ecos de 1968, que trata do contexto de recrudescimento da ditadura civil-militar brasileira que culminou na promulgação do AI-5 em 13 de dezembro de 1968.

Composta por 32 fotografias de dois grandes fotojornalistas brasileiros, as imagens mostram pessoas, lugares e fatos da época da ditadura civil-militar no Brasil e revelam o poder a partir do olhar sagaz dos fotógrafos Luiz Humberto e Orlando Brito. As fotos foram expostas pela primeira vez em 2013 na seção “Brasília no tempo da ditadura“, parte da exposição Resistir é Preciso, organizada pelo Instituto Vladimir Herzog.

Na mesma data, será lançada também a exposição ReVouVer que apresenta fotos dos conflitos que envolveram estudantes e a polícia nas imediações da antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP – em especial as do fotógrafo Hiroto Yoshioka, estudante de arquitetura da USP em 1968 e testemunha dos acontecimentos; o documentário de Renato Tapajós “A Batalha da Maria Antonia”, de 2014; e fac-símiles de jornais e revistas da época.

Merece destaque a inserção de um totem que dará acesso ao trabalho da Comissão da Verdade da USP, criada com o intuito de examinar e esclarecer as graves violações aos direitos humanos praticadas contra docentes, alunos e funcionários da Universidade durante a ditadura.  No momento em que assistimos ao tensionamento da democracia no Brasil, o Instituto Vladimir Herzog e o Centro Universitário Maria Antonia pretendem reafirmar sua vocação na defesa dos valores democráticos e de sua permanente reinvenção. 

Inserido na programação da mostra, no dia 05 de outubro às 16h, será exibido também o documentário Vlado, 30 Anos Depois (2005), de João Batista de Andrade, que conta a trajetória do jornalista Vladimir Herzog desde a infância, fugindo da perseguição nazista, passando por suas ideias políticas e seu senso de ética, até sua posse como diretor de jornalismo na TV Cultura e sua prisão e morte em 1975.

Serviço
EXPOSIÇÃO REVELANDO
Local: Centro Universitário Maria Antonia – Universidade de São Paulo
Rua Maria Antonia, 294, Vila Buarque – São Paulo/SP
Data: 02 de outubro a 28 de fevereiro
Mais informações: facebook.com/maria.antonia.usp