Eva Wilma  1933- 2021

Era uma mobilização contra a censura e pela cultura. Os teatros todos de São Paulo pararam, uma greve.  A mobilização foi combinada de ser feita nos teatros municipais do Rio de Janeiro e de São Paulo. Três dias e três noites ininterruptos.  A gente se revezava.

Sabia que essa fila é uma das fotos icônicas da resistência à ditadura?

A partir da esq.: Eva Todor, Tônia Carrero, Eva Wilma, Leila Diniz, Odete Lara e Norma Bengell.

Eva também esteve conosco, no lançamento do Instituto Vladimir Herzog em 2009.