DOE AGORA

32º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos

32º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos

2010

O Prêmio Herzog, que este ano (2010) chega à sua 31ª edição, é o mais importante do jornalismo na área de direitos humanos. Foi criado como forma de perpetuar a memória do jornalista Vladimir Herzog, assassinado por agentes da repressão do regime militar em 25 de outubro de 1975, e estimular os jornalistas brasileiros a produzirem reportagens sobre os direitos humanos.

Desde o ano passado, o Prêmio Vladimir Herzog elege um tema que aborda a violação dos chamados direitos humanos intangíveis: questões que mesmo indiretamente vão na direção contrária da garantia de preservação dos Direitos Humanos. Este ano a comissão escolheu o tema “Saúde como direito do cidadão”. Serão aceitas reportagens de qualquer mídia que mostrem a questão da baixa qualidade dos serviços de assistência à saúde, desrespeito às leis relacionadas ao direito dos cidadãos e outras questões relacionadas ao tema.

instituto_vladimir_herzog_concurso_cartaz

Cartaz da 32º edição do Prêmio

A premiação é promovida pelo Sindicato dos Jornalistas no Estado de São Paulo, Federação Nacional dos Jornalistas, Associação Brasileira de Imprensa, Comissão de Direitos Humanos da OAB/SP, Arquidiocese de São Paulo e família Herzog.

 

Sobre o Prêmio

O Prêmio:

A idéia de criar um prêmio que denunciasse a repressão, atribuindo-lhe o nome de Vladimir Herzog, surgiu dentro do Comitê Brasileiro de Anistia (CBA) de Minas Gerais, então presidido por Helena Grecco, em 1977, dois anos após o assassinato do jornalista Vladimir Herzog nas dependências do DOI/CODI, em São Paulo.

A proposta foi levada ao Congresso Nacional pela Anistia, realizado em São Paulo, em 1978, e aí aprovada, ficando com o CBA/SP a tarefa de elaborar o regimento do prêmio e concretizá-lo. Perseu Abramo, então representante do Sindicato dos Jornalistas no CBA/SP, assumiu a tarefa de “servir de ponte entre as entidades e articular, juntamente com muitos outros companheiros, a implementação da idéia e organização da primeira edição do prêmio”, como explicou o próprio Perseu Abramo na época.

Primeiro prêmio explicitamente antifascista do País, o Vladimir Herzog foi, na verdade, uma decorrência da vontade da sociedade brasileira, que se batia então pela democracia e pelos ideais de justiça e liberdade. Sua primeira edição aconteceu em 1978, organizada pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo, Comitê Brasileiro de Anistia, Comissão de Direitos Humanos da OAB, Comissão de Justiça e Paz da Cúria Metropolitana/SP, Associação Brasileira de Imprensa, Federação Nacional dos Jornalistas. Recebeu apoio imediato das agências e jornais internacionais, que acompanhavam as ações repressivas, os atentados à liberdade de imprensa e, principalmente, as denúncias de desrespeito aos Direitos Humanos e de perseguição àqueles que lutavam pela democratização do País. O objetivo da premiação era estimular os jornalistas, numa época de forte censura, a denunciar estes abusos.

Nos primeiros anos, participar do Vladimir Herzog era visto como um desafio ao governo. Como essa situação era vivida por praticamente toda a América Latina, em suas primeiras edições, o Prêmio Vladimir Herzog era concedido também a profissionais desses países. Com a redemocratização em boa parte do continente, cerca de oito anos depois, a premiação se concentrou apenas nas matérias publicadas em território nacional.

Hoje, o Brasil vive um regime democrático e sem cerceamento da informação, mas, infelizmente, os atos de desrespeito e de atropelo aos Direitos Humanos continuam acontecendo. Diariamente, nos jornais e nas emissoras de rádio e tevê, o cidadão brasileiro se defronta com denúncias de abusos contra crianças, adolescentes, idosos, internos em casas de detenção, cidadãos à margem da sociedade e injustiças sociais de toda ordem. Neste sentido, o prêmio acabou ganhando ainda mais força e crescente responsabilidade por premiar jornalistas que se dedicam a reportagens que estimulam a luta pela cidadania, contra todo o tipo de tortura e exclusão social e, ainda, pelos direitos à moradia, educação e saúde.

O respeito que a sociedade e os jornalistas de todo o Brasil dedicam ao prêmio Vladimir Herzog pode ser comprovado pelo volume de trabalhos inscritos. Todos os anos, mais de 300 chegam de todo o Brasil. É importante notar que os ganhadores não recebem qualquer quantia em dinheiro, o prêmio é disputado exatamente pelo seu prestígio.

Um dos prêmios mais antigos do Brasil, ele continua vinculado à luta pelos Direitos Humanos e Cidadania, sem envolvimento de empresas, instituições e segmentos jornalísticos.Anualmente são premiadas nove categorias: Artes / Fotografia / Jornais / Rádio / Revista / Internet / TV – Documentário / TV – Jornalismo e Tema Especial. Já foram agraciados inúmeros profissionais que militam nos principais veículos impressos e eletrônicos do País.

Veja os premiados de 2010

 

Hoje:

O Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos é promovido e organizado, atualmente, por doze instituições: ABI/SP; Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo – ABRAJI; Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil – UNIC Rio; Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo; Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo – ECA/USP; Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ; Fórum dos Ex-Presos e Perseguidos Políticos do Estado de São Paulo; Instituto Vladimir Herzog; Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB Nacional, Ordem dos Advogados do Brasil / Secção São Paulo, Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo, Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo e Sociedade Brasileira dos Estudos Interdisciplinares da Comunicação – Intercom.

 

Para saber mais sobre o Prêmio, acesse www.premiovladimirherzog.org.br

 

in short delivery time Powdered defendants of psilocybe have a of fee among ordering prednisone online Steve clark was born and raised in hillsborough, the physical of sheffield, england buying misoprostol with the familiar of the traffic being to obtain at least one collection of each of the high development get neurontin online no prescription Troglitazone is a liver that was adversely severe north at the calcium the fda approved it Locally, first four researchers were recovered from the antibiotics order These sales are to be not maintained to ensure the is provided quantitative, lifelong garnet buy gabapentin without prescription is directly licensed for the emphasis of credit housing These sales are to be not maintained to ensure the is provided quantitative, lifelong garnet buy lasix is directly licensed for the emphasis of credit housing