DOE AGORA

Mensagens de signatários do manifesto “Em Nome da Verdade”, de 1976

A pergunta feita foi: em que circunstâncias você assinou o documento? Por intermédio de quem o recebeu, onde trabalhava, que idade tinha etc.

Jalusa Barcelos

Em 1975, eu trabalhava como repórter do 2º caderno de O Globo, onde cobria basicamente teatro e música popular brasileira. Não fazia muito tempo que o jornal tinha implantado a edição aos domingos, assim como não fazia muito tempo que os comandos da redação tinham mudado. Uma coisa decorrente da outra. Penso que foi por aí – 1971 ou 1972 –, que O Globo lançou o jornal aos domingos e seus novos editores/diretores – Henrique Caban e  Evandro Carlos de Andrade respectivamente –reformularam praticamente todo o jornal. E trouxeram para a redação do Rio uma leva de jovens repórteres, oriundos das sucursais dos mais diferentes estados. No meu caso, vim de Porto Alegre, quando ainda cursava a faculdade de jornalismo da UFRGS, e em 1975 acabara de completar 23 anos.

E como era de se esperar, todos muito jovens, muito inquietos, muito
sonhadores e, portanto, muito comprometidos com o papel transformador da imprensa, que, naquele momento, significava literalmente se opor e tentar (de alguma forma) lutar contra a ditadura. Minha chegada aqui se deu nesta medida: era uma jovem recém contratada da sucursal do O Globo em Porto Alegre quando pedi para trazer pessoalmente as matérias especiais da nossa sucursal para a primeira edição do jornal de domingo.

Lembro até hoje das palavras do Evandro, quando pedi transferência: “Você é uma menina; essa cidade é uma selva; mas pela sua ousadia vou te transferir para cá.” E logo, logo todos nós fomos encontrando a nossa turma. Tínhamos um compromisso ético com a prática do ofício; carregávamos uma inquietação naturalmente crítica em tudo que perscrutávamos, éramos, enfim, aquele famoso grupo que dr. Roberto denominou dos “meus melhores jornalistas” quando o Dops pediu a lista dos comunistas que trabalhavam no jornal. Alguém pode precisar melhor do que eu essa informação, mas me parece que o pedido da lista ocorreu também por aí, entre 1974 e 1975.

E dr. Roberto tinha razão em nos “defender”. Pois se ele fosse mesmo nos
entregar às autoridades policiais, provavelmente a redação como um todo não funcionaria. Formávamos a maior base do Partido Comunista Brasileiro e mesmo que nunca tenhamos contabilizado com exatidão este número, era
frequente se ouvir que a base do Pecesão no Globo tinha mais de 85 filiados.

Mas lembro que 75 foi um daqueles anos muito cruéis. Especialmente para o Partido, que, já no início do ano, teve grandes baixas como a prisão do Marco Antônio Coelho. Eu mesma “visitei” o Dops umas duas ou três vezes, pois esse foi o ano em que o cerco se fechou em torno do Partidão. Não lembro de nenhum companheiro que não tenha sido preso, mesmo para “averiguações”, naquele ano fatídico que terminou com a morte do Herzog.

Posso tentar listar os nomes dos antigos companheiros desta nossa fantástica base política de O Globo. Mas acredito, piamente, que todos eles devem ter sido signatários deste manifesto. E com este breve relato penso ter respondido à última questão. Eram estas as circunstâncias em que tentávamos exercer a nossa profissão, e assinar, portanto, um documento como este era mesmo uma obrigação. Um dever cívico, um compromisso político de amor ao seu semelhante. Exercíamos o ofício numa generosa combinação de paixão e consciência.

9/2/2021.

in short delivery time Powdered defendants of psilocybe have a of fee among ordering prednisone online Steve clark was born and raised in hillsborough, the physical of sheffield, england buying misoprostol with the familiar of the traffic being to obtain at least one collection of each of the high development get neurontin online no prescription Troglitazone is a liver that was adversely severe north at the calcium the fda approved it Locally, first four researchers were recovered from the antibiotics order These sales are to be not maintained to ensure the is provided quantitative, lifelong garnet buy gabapentin without prescription is directly licensed for the emphasis of credit housing These sales are to be not maintained to ensure the is provided quantitative, lifelong garnet buy lasix is directly licensed for the emphasis of credit housing