DOE AGORA

Mensagens de signatários do manifesto “Em Nome da Verdade”, de 1976

A pergunta feita foi: em que circunstâncias você assinou o documento? Por intermédio de quem o recebeu, onde trabalhava, que idade tinha etc.

Tibério Vargas Ramos

Nascido em Alegrete, jornalista profissional desde 1969, quando comecei na Zero Hora, me formei em Comunicação em 1971. Naquele ano de 1976 eu era repórter policial da Folha da Tarde, de Porto Alegre, editor da revista católica Mundo Jovem e assessor de imprensa da Reitoria da PUCRS. No ano seguinte, 1977, comecei a lecionar Jornalismo na Universidade Católica, onde me aposentei 40 anos depois, em 2017. Autor de dois romances – Acrobacias no Crepúsculo e Sombras Douradas –, da novela A Santa Sem Véu e de Contos do Tempo da Máquina de Escrever, hoje sigo minha carreira literária, estou concluindo uma trilogia Tempo & Destino de histórias reais, administro um site para divulgar meus livros e escrevo na Revista Press. Assinei o manifesto porque como jornalista defendo a busca da verdade acima de qualquer conceito ideológico e vejo o iluminismo da liberdade como indispensável para a humanização das pessoas.

13/10/2020.