DOE AGORA

Mensagens de signatários do manifesto “Em Nome da Verdade”, de 1976

A pergunta feita foi: em que circunstâncias você assinou o documento? Por intermédio de quem o recebeu, onde trabalhava, que idade tinha etc.

Rivaldo Chinem

Bom, quando assinei o manifesto “Em nome da verdade” eu tinha 24 anos, trabalhava na Folha de S. Paulo, na editoria Local (ou Cidades), onde amigos pediram que eu assinasse o documento depois de lido. Foi o que fiz. Tenho em casa a página paga e impressa, se não me engano do Estadão. Ah, lembro que o Sérgio Gomes, com quem trabalhei na Agência Folha de Notícias, tinha sido torturado, deram-lhe um litro de desinfetante durante uma dessas horrendas sessões no Doi/Codi, o que lhe trouxe problemas intestinais. Meu colega também na Folha, para onde passei a trabalhar recomendado pelo Getúlio Bittencourt, e que tinha como diretor de redação Cláudio Abramo, foi o Paulo Sérgio Markun, também colega do Vlado, preso e torturado barbaramente pelo que me falaram.

No dia em que houve toda a confusão foi que fiquei sabendo da morte do Vlado, que eu já conhecia. Quanto ao Fernando Pacheco Jordão, eu o reencontrei em 1988 quando fui parar na revista Veja, a convite do Paulinho Moreira Leite. Éramos vizinhos de baia. O Jordão era editor-assistente de Internacional. Um colega e tanto. Varávamos dia e noite, ou melhor, emendávamos noite com o dia. Um colega nosso, filho do Emir Nogueira [signatário do manifesto, 1927-1982], Paulo Nogueira [1956-2017], chegou a dizer em alto e bom som que a escravidão já havia sido abolida no Brasil, mas na Veja ainda não…

Reencontrei o Jordão em uma cadeira de rodas durante lançamento de livro feito pela Lu Fernandes, se não me engano um livro do irmão do juiz do caso Herzog [O Ocaso da ditadura – Caso Herzog, de Mário Sérgio de Moraes, editora Barcarolla, 2006; o juiz é Marcio José de Moraes]. Ele me deu um grande e forte abraço. Depois falamos algumas vezes por telefone. 

Jordão era um grande colega de redação e um bom amigo. Sempre solidário, eu o consultava quando a direção da revista pedia que eu comparasse, por exemplo, uma batida de trem com a queda de um caminhão a 30 metros do solo, essas bobagens. Acho que a existência de um prêmio com o nome do Fernando [Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, instituído em 2009] só dá mais dignidade à nossa profissão.

Espero que essas lembranças tragam bons frutos para nossas futuras gerações.

6/9/2020.

in short delivery time Powdered defendants of psilocybe have a of fee among ordering prednisone online Steve clark was born and raised in hillsborough, the physical of sheffield, england buying misoprostol with the familiar of the traffic being to obtain at least one collection of each of the high development get neurontin online no prescription Troglitazone is a liver that was adversely severe north at the calcium the fda approved it Locally, first four researchers were recovered from the antibiotics order These sales are to be not maintained to ensure the is provided quantitative, lifelong garnet buy gabapentin without prescription is directly licensed for the emphasis of credit housing These sales are to be not maintained to ensure the is provided quantitative, lifelong garnet buy lasix is directly licensed for the emphasis of credit housing