DOE AGORA

Mensagens de signatários do manifesto “Em Nome da Verdade”, de 1976

A pergunta feita foi: em que circunstâncias você assinou o documento? Por intermédio de quem o recebeu, onde trabalhava, que idade tinha etc.

José Carlos Marão 

Eu estava na Abril, de passagem de um departamento chamado Centro de Criação para a redação de Quatro Rodas, onde assumiria o cargo de redator-chefe. Tinha acabado de completar 35 anos. 

Recebi a notícia na minha casa, então no meu primeiro casamento, por um telefonema do Woile Guimarães (muito provavelmente, ele não vai se lembrar, pois foi induzido a fazer esse telefonema por outras pessoas). Deveria ser uma 8 da noite, mais ou menos. Disse:
– Soube do Vlado?
Eu sabia quem era o Vlado, claro. Era do Estadão, tinha trabalhado nos fascículos da Abril mas não tinha acompanhado mais sua carreira. Só respondi:
– Não, não soube nada.
– Ele se matou.
Foi um código!!! Em uma fração de segundo entendi tudo, não precisava dizer mais nada.
– A turma está indo pro sindicato.
Saí de casa imediatamente. O resto é História.
Opa, não falei da lista propriamente dita.
Houve tantas reuniões, tantas ações paralelas, que não me lembro exatamente.
Pode ter acontecido até de eu ter sido um dos que passou a lista no meu andar, mas não posso garantir.
De alguma forma, estava todo mundo engajado.

7/8/2020.