Imprensa alternativa, uma leitura obrigatória – parte 2

Sinopse

Nos episódios 4 e 5 tratamos do mesmo tema: a imprensa alternativa como uma leitura obrigatória, principalmente depois do ai-5 baixado em dezembro de 1968 e que pretendia impedir toda manifestação de liberdade e inconformismo. É neste clima que surge em 1969, no rio de janeiro, o Pasquim com uma equipe de cartunistas e jornalistas renomados, verdadeiros herdeiros do barão de itararé (programa 2), com a crítica na melhor forma do humor.

É neste período (1972) que surge também no rio o jornal Opinião, fundado pelo empresário Fernando Gasparian e que marcou época pela qualidade editorial e conseqüente rígida censura da polícia federal.
Dezenas de jornais surgem neste período. Em São Paulo, o Movimento dirigido pelo jornalista Raimundo Pereira, que acaba rachando e nascem Em tempo e Amanhã. Outros jornais do período: Ex, O grilo, Politika, dirigido por Sebastião Nery, Critica, de Gerardo Mello Mourão, versus, voltado para a America Latina e Cadernos do terceiro mundo, com foco em países da África e América Latina.

Roteiro

(ENTRA ARTE COM O TÍTULO)
RESISTIR É PRECISO…
A IMPRENSA ALTERNATIVA, CLANDESTINA E NO EXÍLIO DURANTE A DITADURA MILITAR BRASILEIRA

 

OTHON BASTOS VIVO:
NO EPISÓDIO ANTERIOR VOCÊ VIU COMO FLORESCEU A IMPRENSA ALTERNATIVA, ORA USANDO O HUMOR, ORA PUBLICANDO REPORTAGENS E TEMAS POLÍTICOS PARA DAR COBERTURA AO MOVIMENTO PELA DEMOCRATIZAÇÃO DO PAÍS. HOJE, VOCÊ VAI CONHECER OUTROS EXEMPLOS QUE MOSTRAM A IMPORTÂNCIA DA IMPRENSA ALTERNATIVA.

EPISÓDIO 5
“IMPRENSA ALTERNATIVA,
UMA LEITURA OBRIGATÓRIA” (PARTE 2)

SOBE SOM — TRILHA SONORA/IMAGENS DE CAPAS DO JORNAL O SÃO PAULO

ATOR VIVO/OFF
CATEDRAL DA SÉ, SÃO PAULO, 31 DE OUTUBRO DE 1975. APESAR DA INTIMIDAÇÃO POLICIAL A MULTIDÃO SILENCIOSA VEIO CHEGANDO, CHEGANDO. NÃO PARAVA DE CHEGAR E LOGO NÃO COUBE MAIS DENTRO DA IMENSA NAVE DA IGREJA. ESPALHOU-SE POR ESSAS ESCADARIAS E RUAS VIZINHAS.
ERA O ATO ECUMÊNICO EM MEMÓRIA E PROTESTO CONTRA O ASSASSINATO DO JORNALISTA VLADIMIR HERZOG NUMA PRISÃO DA DITADURA.

ATRIZ/OFF (COM IMAGENS DO ATO ECUMÊNICO)
O JORNAL “O SÃO PAULO”, DA ARQUIDIOCESE, NÃO PÔDE PUBLICAR A MATÉRIA SOBRE A MORTE DE VLADO. ESTAVA SUBMETIDO À CENSURA PRÉVIA. MAS SEU DIRETOR, O CARDEAL ARCEBISPO DOM PAULO EVARISTO ARNS, ESTAVA AQUI PARA CELEBRAR UM ATO ECUMÊNICO QUE REUNIU O RABINO HENRY SOBEL E O PASTOR PRESBITERIANO JAIME WRIGHT

ATRIZ VIVO
(NAS ESCADARIAS DE NOVO)
O BISPO DOM ANGELICO SANDALO BERNARDINO, QUE ERA O REDATOR-CHEFE DO JORNAL, TAMBÉM ESTAVA AQUI:
CAM. VAI PARA APARELHO DE TV:
FALA DOM ANGELICO: AOS 41’30″ DA FITA BRUTA: “A CATEDRAL ESTAVA ASSIM” (…) ATÉ “CLAMANDO POR LIBERDADE” AOS 42’16″.

ATOR/OFF:
(C/IMAGENS DE MATÉRIAS SOBRE TORTURAS/ E DE TEXTOS CENSURADOS, PÁGINAS DO JORNAL EM BRANCO)
DESDE NOVEMBRO DE 1970, QUANDO ASSUMIU A ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO, DOM PAULO DETERMINOU QUE O JORNAL DA CÚRIA PUBLICASSE TODAS AS DENUNCIAS SOBRE TORTURAS E OUTROS CRIMES DA DITADURA QUE CHEGASSEM AO SEU CONHECIMENTO.
O JORNAL PASSOU A SER SUBMETIDO À CENSURA PREVIA. OS CENSORES IAM À REDAÇÃO. A JORNALISTA ANGÉLICA RITTES TRABALHAVA NO O SÃO PAULO:
APARELHO DE TV:
FALA ANGELICA RITTES: AOS 4′: “DEPOIS DA MATÉRIA ESCRITA (…) VINHAM LER AS MATÉRIAS NA REDAÇÃO, VINHAM LIAM, CORTAVAM E IAM EMBORA…” (ATÉ 4’30″)
FALA D. ANGELICO: –4’35″: “AQUI NA MESA HÁ UM SEM NUMERO DE MATÉRIAS QUE TÊM A CHANCELA DO CENSOR. ESSA MATÉRIA POR EXEMPLO, ESTÁ ESCRITO AQUI: LIBERADO COM CORTE…” (VAI ATÉ AOS 5’00″).
EM 1HORA E 10 MINUTOS EM DIANTE D. ANGELICO MOSTRA OUTRAS MATÉRIA CENSURADAS/VETADAS.

OTHON BASTOS
APESAR DA TESOURA, TUDO QUE ERA CENSURADO CHEGAVA AO PÚBLICO DO JORNAL… ÀS PAROQUIAS, ÀS COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE, AOS TRABALHADORES, AOS MORADORES DA PERIFERIA. SERÁ UM MILAGRE?

NA TV:
PADRE CIDO CONTA COMO O MATERIAL CENSURADO CHEGAVA AO PÚBLICO (GRAVAR)

ATOR VIVO/CLOSE:
“O SÃO PAULO” INCOMODAVA MUITO OS MILITARES. TANTO QUE EM 1982, PARA INITIMIDAR O CARDEAL, IMPRIMIRAM UMA VERSÃO FALSA DO JORNAL.
APARELHO DE TV
FALA DOM ANGELICO (AOS 22′ DA FITA BRUTA) “UMA VERGONHA… (AOS 25′: “NÃO TENHO ESTÔMAGO”…

ATRIZ/OFF:
(IMAGENS DAS RESPECTIVAS EDIÇÕES LIBERADAS DA CENSURA)
A CENSURA FOI SUSPENSA NO “O SÃO PAULO” EM JUNHO DE 1978. NO MESMO DIA QUE NO JORNAL “MOVIMENTO”. OS DOIS FORAM OS ULTIMOS JORNAIS A SEREM LIBERADOS DA CENSURA.
DOM ANGELICO, QUE ERA JORNALISTA ANTES DE SER PADRE, CONTINUOU A ESCREVER NO JORNAL:
APARELHO DE TV
FALA DOM ANGELICO: (AOS 37’10″ DA FITA BRUTA): “É UMA CACHAÇA, MEU IRMÃO!”

OTHON BASTOS VIVO
“O SÃO PAULO” FOI DE GRANDE IMPORTÂNCIA PARA A ORGANIZAÇÃO DE CENTENAS DE COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE, AS CEBS. NELAS SE FORMARAM LIDERANÇAS QUE VIRIAM A PARTICIPAR DA FORMAÇÃO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES.

ATOR/VIVO:
ACABOU A CENSURA… E AÍ COMEÇOU O TERRORISMO. A PARTIR DE 1979, SETORES DAS FORÇAS ARMADAS LIGADOS AO SISTEMA DE TORTURAS E ASSASSINATOS DOS OPOSITORES PASSARAM PROMOVER INVASÕES DE REDAÇÕES E A INCENDIAR BANCAS DE JORNAIS (FOTO DE BANCA INCENDIADA)EM SÃO PAULO, RIO, BELO HORIZONTE E OUTRAS CIDADES. INTIMIDADOS, MUITOS JORNALEIROS DEIXARAM DE VENDER OS JORNAIS ALTERNATIVOS. AS VENDAS CAIRAM BRUTALMENTE. FOI UM DURO GOLPE.
(VER CAPA DA EDIÇÃO 264, DE 21 DE JULHO DE 1980, DE MOVIMENTO)
RESPIRO/SOBE SOM — HINO À REPUBLICA: “LIBERDADE, LIBERDADE, ABRE AS ASAS SOBRE NÓS…”
IMAGEM CAPA DO EX-16 SOBRE A MORTE DE VLADO.

ATRIZ VIVO/OFF:
(CAPA DE EX “LIBERDADE, ABRE AS ASAS SOBRE NÓS”)

EM NOVEMBRO DE 1975, O JORNAL EX PUBLICOU UMA CORAJOSA REPORTAGEM SOBRE A MORTE DO JORNALISTA VLADIMIR HERZOG. A EDIÇÃO, DE 50 MIL EXEMPLARES, ESGOTOU. UMA REIMPRESSÃO, DE 20 MIL, FOI APREENDIDA. E O JORNAL DEIXOU DE CIRCULAR.

RESPIRO

ATOR/OFF:
(IMAGENS DO BONDINHO, JORNALIVRO, GRILO ETC.)
JORNALIVRO… GRILO… BONDINHO, EX SÃO PUBLICAÇÕES DE UM GRUPO DE JORNALISTAS DE SÃO PAULO QUE FEZ ESCOLA: SERGIO DE SOUZA, NARCISO KALILI, MILTAINHO…
A REVISTA BONDINHO, DE 1971, A PRIMEIRA DELAS, FOI DO DESBUNDE PARA O TRANSBUNDE.
CAM. VAI PARA APARELHO DE TV:
FALA MYLTON SEVERIANO: AOS 1H19’35″: “TINHA ENCARTADO UM COMPACTO DE GILBERTO GIL (…) VENDEU 50 MIL… FEVEREIRO DE 1972″

ATRIZ VIVO/ OFF:
SEM PUBLICIDADE, BONDINHO FECHOU. NASCEU O GRILO, DE HISTORIA EM QUADRINHOS POLITIZADA. PRESSIONADO PELA CENSURA, A EQUIPE DECIDE FECHAR O GRILO TAMBÉM.
APARELHO DE TV:
FALA DACIO NITRINI: 1H37′: “A EQUIPE NÃO SE SUBMETIA À CENSURA (…) A CENSURA EXIGE REGISTRO DA REVISTA. A EQUIPE PEDE DISPENSA DISSO. É NEGADO E DITO QUE SERIA OBRIGATÓRIO. O SERGIO E O NARCISO DECIDEM FECHAR O GRILO E LANÇAR OUTRA PUBLICAÇÃO….”

DACIO NITRINI CONTINUA EM1H39: “DECIDEM QUE NO MÊS SEGUINTE IA CIRCULAR COM UM NOVO NOME DE JORNAL: EX, EX GRILO…”

ATOR VIVO:
NO LUGAR DO GRILO NASCE OUTRO JORNAL, O EX. (À PARTE) EX? POR QUE EX?
APARELHO DE TV:
MYLTON EM 1H39’40″: “É PRECISO EXPLICAR. EX-TUDO, EX-GRILO, EX-FOLHA, EX-REALIDADE. NUMERO 1 HITLER PELADO.”NAZISMO ESTÁ À VONTADE NO PAÍS TROPICAL”.

ATRIZ VIVO:
EM 25 DE OUTUBRO MYLTAINHO ATENDE UM TELEFONEMA NA CASA ONDE MORAVA COM VÁRIOS AMIGOS:
APARELHO DE TV:
FALA MYTAINHO: EM 1H53′: “O CARA DISSE: MATARAM O VLADO! PAVOR, PAVOR!
VOLTA MYLTAINHO AOS 1H54′: “HAMILTON ALMEIDA NOS DEU UM EMPURRÃO: VAMOS FAZER ESSA REPORTAGEM”

ATOR VIVO
CERCA DE 15 PESSOAS TRABALHARAM PARA LEVANTAR AS INFORMAÇÕES.
APARELHO DE TV:
FALA MYLTAINHO: 1H55′ : “UMA PILHA DE MATERIAL (…) SENTAMOS HAMILTON, NARCISO E EU E FOMOS ESCREVENDO EM REVEZAMENTO (…) DURANTE DOIS DIAS. ”

ATRIZ VIVO/OFF:
O RESULTADO FOI UMA REPORTAGEM DE OITO PÁGINAS. NA CAPA, A MANCHETE É O HINO À REPUBLICA:

APARELHO DE TV
MYLTAINHO LÊ: 1H56’37″: “LIBERDADE, LIBERDADE (…) DO NARCISO KALILI A MANCHETE. (…) O NARCISO PEGOU O REFRÃO E PÔS DE MANCHETE…”

PAULO/CLOSE:
A EDIÇÃO SEGUINTE, A 17 DO EX, QUE TRAZIA A MANCHETE “EXTRA”, DEPOIS DE IMPRESSA E PAGA, FOI APREENDIDA PELA POLICIA FEDERAL. PREJUIZO BRUTAL. A EQUIPE AINDA TEVE FÔLEGO PARA LANÇAR O MAIS UM. E OLHA NO QUE DEU…
APARELHO DE TV:
FALA MYLTAINHO: 2H25′. FOMOS CHAMADOS NA POLICIA FEDERAL (…) VOCÊS SABEM QUE ESTÃO EM CENSURA PREVIA. MAS ESTE É OUTRO JORNAL (…) A GENTE TREMIA (…) OLHA AQUI, VOCES PARAM COM ISSO OU NÃO RESPONDO MAIS PELA INTEGRIDADE FISICA DE VOCÊS (…) AGORA FUDEU TUDO, AGORA NÃO DÁ MAIS (…) ASSIM A HISTORIA DO EX ACABA COM O MAIS UM. FOMOS FAZER OUTRA COISA ( COM CORTES ATÉ 2H31’35″).
(PASSAGEM/TEMPO)

BG: MUSICA INCIDENTAL/QUE MUSICA?
ATRIZ VIVO:
COM IMAGENS DE POLITIKA:

NO RIO DE JANEIRO, O TABLÓIDE POLITIKA CIRCULOU POR DOIS ANOS A PARTIR DE 1971. REPRESENTAVA AS IDEIAS DOS NACIONALISTAS E TRABALHISTAS, DE GETULIO VARGAS, JOÃO GOULART, LEONEL BRIZOLA… E ERA VISCERALMENTE CONTRA O CAPITAL ESTRANGEIRO. CHEGOU A TIRAR 38 MIL EXEMPLARES ATÉ BATER DE FRENTE COM A CENSURA E ACABOU FECHANDO.
ATOR VIVO OFF:
EM 1975, SURGIU CRÍTICA, NA MESMA LINHA DO POLÍTICA E REUNIA OPOSICIONISTAS CARIOCAS DE VÁRIAS TENDÊNCIAS.
ATRIZ VIVO/OFF:
COM IMAGENS DE CRITICA
CRITICA SOBREVIVEU POR MAIS DE UM ANO. COM A APREENSÃO DA EDIÇÃO DE NÚMERO 56 O JORNAL NÃO AGÜENTOU O PREJUÍZO E TEVE QUE FECHAR.

ATOR VIVO/OFF:
OSSO DURO DE ROER, A OPOSIÇÃO NACIONALISTA TAMBÉM SE EXPRESSOU POR MEIO DO RELANÇAMENTO DO JORNAL DE DEBATES.
CENAS FILMADAS DO PETRÓLEO É NOSSO
IMAGENS JORNAL DE DEBATES.
O JORNAL DE DEBATES HAVIA SE DESTACADO NOS ANOS 50 AO APOIAR A CAMPANHA “O PETRÓLEO É NOSSO”. FOI O JORNALISTA LIMEIRA TEJO QUE PROMOVEU O RELANÇAMENTO NA DÉCADA DE 70.

OTHON BASTOS VIVO:
VOCÊ ESTÁ REPARANDO AS DATAS? NUMEROSOS JORNAIS FORAM SURGINDO ENTRE 1971 E 1976. A OPOSIÇÃO NÃO DESISTIA, APESAR DA CENSURA, DA PERSEGUIÇÃO E DAS PRISÕES. FOI ASSIM, INSISTINDO, TEIMANDO, QUE ESTES JORNAIS DE RESISTÊNCIA LEVAVAM INFORMAÇÃO PARA CADA VEZ MAIS GENTE QUE ESTAVA QUERENDO SABER MAIS COISAS…

SOBE-SOM: “SOY LOCO POR TI AMERICA…” (IMAGENS DE VERSUS E VÁRIOS JORNAIS VOLTADOS PARA A AMÉRICA LATINA)

ATOR VIVO/OFF:
A REVISTA VERSUS SURGE EM 1976 POR INICIATIVA DO JORNALISTA MARCOS FAERMANN, REPÓRTER GAÚCHO QUE JÁ TRABALHAVA NOS GRANDES JORNAIS DE SÃO PAULO. PARA ELE, O BRASIL NÃO PODIA MAIS IGNORAR O QUE ACONTECIA NO CONTINENTE LATINO AMERICANO. A REVISTA ARGENTINA CRISIS, DE EDUARDO GALEANO, FOI UMA DAS INSPIRAÇÕES DA VERSUS.
APARELHO DETV:
FALA MATICO: AOS 1’27″ DO DVD EDITADO:
“PROCURAVAM REPRIMIR OS JORNAIS QUE A ATACAVAM DIRETAMENTE. VERSUS ERA UMA ELIPSE, UMA PARÁBOLA, FALAVA DO BRASIL SEM FALAR… (VAI ATÉ 2’07″)..
AOS 5,55: “A REPRESSÃO BATEU OLHO (…) DEVASSA NO JORNAL (…) BATEU O PÂNICO (…) FICÇÃO CONTÁBIL/DEVASSA VEIO, TUDO EM ORDEM… AOS 8’40″ “NA MDRUGADA, INVADIRAM A REDAÇÃO… LEVARAM TODOS OS LIVROS…”

OTHON BASTOS
COM IMAGENS DOS MOVIMENTOS DA ÉPOCA, NO MUNDO
NOS ANOS 70, PAÍSES E POVOS DA ÁSIA, AFRICA E AMERICA LATINA SE TORNAM INDEPENDENTES.
O MOVIMENTO DOS NÃO ALINHADOS A NENHUM BLOCO DE PODER CHEGOU A SOMAR 77 PAÍSES QUE, EM 1973, FAZEM UMA REUNIÃO NA ARGÉLIA…

ATOR VIVO
FOI COM ESTE MOTE QUE SURGIU A REVISTA “CADERNOS DO TERCEIRO MUNDO”, DIRIGIDA PELO DEPUTADO CASSADO NEIVA MOREIRA E TINHA COMO EDITOR-CHEFE O JORNALISTA PAULO CANNABRAVA.
APARELHO DE TV:
FALA CANNABRAVA — FITA BRUTA EM 2H06′: “MUNDO EM EBULIÇÃO, MAIS DA METADE ERAM SOCIALISTAS OU ESTAVAM FAZENDO…
(…) NENHUM MEIO DE COMUNICAÇÃO FALAVA SOBRE ISSO (…) NO DIALOGO COM O NEIVA MOREIRA, TEMOS QUE FAZER UMA REVISTA… QUE (…) ERA DAR VOZ AOS PROTAGONISTAS… ETC.

(AO LADO DE CANNABRAVA, SUA MULHER, BEATRIZ, LÊ MANCHETES DE UMA DAS EDIÇÕES (2H07′) E 2H08′ “FALAMOS TRÊS IDIOMAS EM 5 EDIÇÕES PARA 50 PAISES. DOIS TERÇOS DA HUMANIDADE VIVE NO TERCEIRO MUNDO…”

OFF:
(BG– SOY LOCO POR TI, AMERICA.)
CADERNOS DO TERCEIRO MUNDO CIRCULOU POR 34 ANOS, ATÉ 2007. CHEGOU A TIRAGENS DE 30 MIL EXEMPLARES. SEMPRE EDITADA POR CANNABRAVA.

SOBE-SOM: SOY LOCO POR AMERICA/GIL.

OTHON BASTOS
NO PRÓXIMO EPISÓDIO: NA MEDIDA QUE A PRÓPRIA SOCIEDADE ENCONTRAVA CAMINHOS PARA SE ORGANIZAR, JORNAIS E REVISTAS IAM REPRESENTANDO ESTES MOVIMENTOS DE FORTE CARÁTER SOCIAL

Publicado por

Documentários e depoimentos que buscam entender o que levou jornalistas consagrados a embarcarem, com um punhado de focas, ativistas políticos e intelectuais, naquelas naus incertas “sem aviso prévio e sem qualquer itinerário”, como disse o poeta.

Deixe seu comentário

Quer participar com outras informações?
Contribua aqui!

Deixe uma resposta