DOE AGORA

Leitura das peças “Ponto de Partida” e “Patética” integra eventos em memória do golpe de 64

Leitura das peças “Ponto de Partida” e “Patética” integra eventos em memória do golpe de 64

As leituras encenadas das peças Patética e Ponto de Partida, com direção de Cibele Forjaz, foram apresentadas entre 31 de Março e 3 de Abril no teatro TucArena. Com a atuação de nomes como Denise Fraga, Miriam Mehler e Renato Borghi, as peças representam marcos do teatro de resistência.

Segundo Cibele Forjaz, a peça Ponto de Partida, de Gianfrancesco Guarnieri, constitui  uma fábula que pode tanto representar a história de Vladimir Herzog, como também a história de outras vítimas de violência. “No caso de Ponto de Partida, Birdo (personagem central) é o Vlado, mas também representa todos os torturados, é menos pessoal, sendo uma peça mais simbólica e subjetiva”, afirmou Cibele.

Já a peça Patética, de João Ribeiro Chaves Neto, é claramente baseada na vida de Vlado. “A peça foi escrita por João Ribeiro Neto, cunhado de Vladimir e que, inclusive, se colocou como um dos personagens”, conta Cibele.

As peças foram apresentadas no formato de leitura encenada, porque, nesse contexto, o papel escrito torna-se um personagem, como se os próprios autores estivessem presentes no palco, sendo, dessa forma, homenageados.