DOE AGORA

DITADURAS NO CONE SUL – 50 ANOS DEPOIS

DITADURAS NO CONE SUL – 50 ANOS DEPOIS

Estão abertas as inscrições para o evento internacional “Ditaduras no Cone Sul – 50 Anos Depois”, que ocorre nos dias 9 a 11 de Maio, no Teatro Municipal de Santo André, promovido por dirigentes sindicais da região do Grande ABC, pelo Centro de Memória do Grande ABC e pelo prefeito de Santo André, Carlos Grana.

Um povo sem memória é um povo sem História e os jovens de hoje precisam ter noção do que foram as ditaduras militares, para que fatos semelhantes nunca mais voltem a acontecer.

O objetivo do evento é não deixar esquecida a data dos 50 anos do golpe civil-militar brasileiro de 1964 e as relações promiscuas dos militares brasileiros com os outros ditadores dos países do Cone Sul.

O evento abordará a memória, democracia e fatos marcantes da época. Como foram a Operação Condor, o papel das Forças Armadas, a repressão aos operários, camponeses, intelectuais, artistas, escritores e a participação da sociedade civil no golpe militar.

Já confirmaram presença pessoas que sobreviveram e lutaram contra as ditaduras, como o ex-presidente da República do Paraguai, Fernando Lugo;  o legendário símbolo da resistência peruana, Hugo Blanco; Carlos Caszely, o mais popular jogador da seleção chilena, que se negou a apertar a mão de Pinochet; Hildegard Angel, filha de Zuzu Angel; Criméia de Almeida, da guerrilha do Araguaia, presa e torturada mesmo grávida de oito meses; João Vicente Goulart, filho do presidente João Goulart; o senador paraguaio Sixto Pereira, ligado à resistência e ao movimento camponês do Paraguai; Oscar Olivera, dirigente sindical boliviano da resistência; Osvaldo Torres Gutierrez, antropólogo, decano da Universidade Central do Chile e da resistência a Pinochet; Jorge Lara Castro, ex-ministro de Relações Exteriores do Paraguai e membro da Comissão da Verdade e Justiça; Pascal Allende, sobrinho do presidente Salvador Allende e ex-dirigente do MIR; Ivo Herzog, diretor executivo do Instituto Vladimir Herzog; e Sergio Ricardo, compositor e cantor brasileiro.

São esperados também para o evento Pepe Mujica, presidente da República Oriental do Uruguai; Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente do Brasil; Daniel Viglietti, compositor e cantor uruguaio;  Frei Betto, escritor ligado à resistência; Loyola Guzman, ex-guerrilheira boliviana que lutou com Che Guevara; Adolfo Pérez Esquivel, prêmio Nobel da Paz, em 1980; Afonsinho, ex jogador de futebol; e Joan Jara, viúva de Victor Jara, entre outras personalidades.

Para homenagear as mães das pessoas que lutaram contra a ditadura será inaugurada uma exposição de fotos no dia 6 de Maio, no saguão do Teatro Municipal de Santo André. O público vai poder conferir a exposição até o último dia do evento, no Dia das Mães.

Ditaduras no Cone Sul – 50 Anos Depois

Dia 9 de Maio – Abertura do Evento às 19h

Dias 10 e 11 a partir das 9h.

Teatro Municipal de Santo André – Praça IV Centenário.

Para mais informações, acesse o site www.ditadurasnoconesul.com.br

Email imprensa@ditadurasnoconesul.com.br