DOE AGORA

36º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos

36º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos

A 36º edição do Prêmio contou com 503 projetos inscritos, superando os 443 trabalhos do ano anterior. A categoria de “Internet” foi a mais procurada, totalizando 136 projetos. A primeira etapa contou com a participação de 24 jurados técnicos, representantes de quase todos os estados do país. Já na segunda fase, a comissão julgadora composta por 11 membros avaliou os trabalhos com as três melhores notas de cada grupo para, enfim, eleger os ganhadores.

Os jurados da segunda etapa de avaliação se reuniram na Câmara Municipal de São Paulo para sessão pública, com transmissão ao vivo, na qual foram escolhidos os vencedores das oito categorias da premiação, que busca reconhecer jornalistas e seus respectivos trabalhos voltados à promoção da democracia, cidadania e direitos humanos e sociais.

Prêmio Vladimir Herzog “Hors Concours”

Neste ano, excepcionalmente, a comissão julgadora decidiu por unanimidade conceder uma premiação diferenciada à matéria especial “A Sentença – 35 Anos”, exibida na GloboNews, inscrita na categoria Reportagem de TV. Com a assinatura do jornalista Cláudio Renato e equipe, o trabalho narra a história da sentença prolatada pelo juiz Márcio José de Moraes, em 27 de outubro de 1978, na qual a União é condenada pela tortura e morte do Jornalista Vladimir Herzog.

Em pouco mais de 20 minutos, a reportagem faz um retrospecto histórico, que vai desde o dia em que o jornalista Vladimir Herzog foi procurado pelo DOI-Codi para depor, até a entrega do novo atestado de óbito para a família Herzog, em 15 de março de 2013, no qual a causa da morte é declarada como decorrência das lesões e maus-tratos sofridos durante o interrogatório.

Por se tratar da história de martírio que deu origem ao Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, a reportagem recebeu um prêmio especial e único, sendo elevado à categoria “Hors Concours”.

O Prêmio Jornalistico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos foi intitulado em 1978 pela família Herzog e pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo, Comitê Brasileiro de Anistia, Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP, Movimentos de Anistia, FENAJ-Federação Nacional de Jornalistas e ComissãoJustiça e Paz da Arquidiocesse de São Paulo. Sua finalidade é reconhecer e premiar jornalistas que, por meio de seu trabalho, contribuem para a promoção da democracia, cidadania e direitos humanos e sociais, bem como homenagear personalidades, profissionais e veículos de comunicação que se destacam na defesa desses valores fundamentais. Em 2014 o Prêmio chaga a seu 36º ano, consagrado por jornalistas, meios de comunicação social, importantes entidades do país e com o respeito da sociedade.

 

Confira abaixo os escolhidos como vencedores do prêmio:

Artes (ilustrações, charges, cartuns, caricaturas e quadrinhos)

Vencedor: Pátria Amada Brasil – Robson Vilalba (Jornal Gazeta do Povo – Curitiba)

Menção Honrosa: “Foi errado eu sei” – Laerte (Jornal Folha de S. Paulo)

Fotografia

Vencedor: De Herói a Vilão – Marcelo Carnaval (Jornal O Globo – Rio de Janeiro)

Internet

Vencedor: Dias de Intolerância – Rosanne D’Agostino (Portal G1)

Menção Honrosa: Imigrantes em São Paulo – Fabiana Maranhão (UOL)

Jornal

Vencedor: Sangue Político – Leonencio Nossa (Jornal O Estado de S. Paulo)

Menção Honrosa:

As Confissões do Coronel Malhães – Juliana Dal Piva (Jornal O Dia – Rio de Janeiro)

Mapa da Ditadura em Brasília – Ana Pompeu (Jornal Correio Braziliense – Brasília)

Revista

Vencedor: Jurados de Morte: O drama de mais de 2 mil autoexilados no próprio país – Edson Sardinha (Revista Congresso em Foco – Brasília)

Menção Honrosa: Envenenados – Tiago Mali (Revista Galileu)

Rádio

Vencedor: História de Flor – Hebert Araújo (Rádio CBN – João Pessoa)

Menção Honrosa: Brasil-Haiti: 10 Anos de Missão de Paz da ONU – Michelle Trombelli (Rádio Bandnews FM – São Paulo)

Documentário de TV

Vencedor: Na Lei ou Na Marra: 1964, um combate antes do golpe – Tatiane Fontes e equipe (TV ALMG – Assembléia Legislativa de MG)

Menção Honrosa: A Pele Negra – Bianca Vasconcellos e equipe (TV Brasil / EBC)

Reportagem de TV

Vencedor: Caso Amarildo – Monica Marques e equipe (TV Globo – Rio de Janeiro)

Menção Honrosa: Tortura na Fundação Casa – Valmir Salaro e equipe (TV Globo – São Paulo)

 

Fotos da Cerimonia: