DOE AGORA

Portal Memórias da Ditadura ganhará área exclusiva para o relatório da Comissão Nacional da Verdade

Portal Memórias da Ditadura ganhará área exclusiva para o relatório da Comissão Nacional da Verdade

Após quase dois anos da entrega final do relatório redigido pela Comissão Nacional da Verdade, o Instituto Vladimir Herzog integrará ao site www.memoriasdaditadura.org o projeto CNViva, como o próprio nome elucida, o projeto tem como objetivo manter vivos os resultados da CNV – Comissão Nacional da Verdade, seus trabalhos realizados e a divulgação sistemática de novas informações sobre a violação, pelo estado, dos Direitos Humanos durante o período ditatorial.

A CNV foi instituída em 16 de maio de 2012, com a finalidade de apurar graves violações de Direitos Humanos ocorridas entre 18 de setembro de 1946 e 5 de outubro de 1988. Com o termo de seu mandato prorrogado de 2013 para 2014, a comissão atuou durante dois anos e sete meses, dedicou-se à busca e pesquisa de documentos, à coleta de depoimentos, ao reconhecimento dos locais de repressão e à realização de audiências públicas por todo o território nacional além do diálogo com a sociedade.

Dividido em três volumes, o relatório que descreve as atividades da CNV apresenta as estruturas de repressão existentes na ditadura, como cadeias de comando, métodos e dinâmica das graves violações de direitos humanos. Em seu terceiro e o mais extenso volume, o relatório descreve a história de 434 mortos e desaparecidos políticos, a partir dos elementos informativos que foram examinados nos outros dois volumes, além de conclusões e recomendações.

Os números apresentados no terceiro volume devem crescer com a continuação das investigações, especialmente entre as populações camponesas e indígenas.

Grande parte do trabalho da CNV foi beneficiado pelas investigações realizadas há anos pela Comissão Especial Sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, pela Comissão de Anistia, por entidades da sociedade e por sobreviventes e familiares dos mortos e desaparecidos.

Uma das recomendações do relatório é de que as Forças Armadas reconheçam sua responsabilidade institucional. “Trata-se de um gesto que abrirá caminho para a superação definitiva do passado, consolidando em base permanente o compromisso dos militares com o Estado democrático de Direito e reconciliando-os plenamente com a sociedade brasileira”, afirma o Conselho da CNV.

Para execução do Projeto CNViva, o Instituto Vladimir Herzog conta com o patrocínio da CAIXA em seu Plano Anual de Atividades 2016, e incorporou a sua equipe colaboradores das mais diferentes características, como José Luis Del Roio, Ana Rosa Abreu, Rafael Schincariol, Joana Vasconcelos, André Deak e Marcos Napolitano. O projeto está em sua etapa inicial e deve começar a fornecer os conteúdos no site a partir do segundo semestre deste ano.

rodape