DOE AGORA

“Patética”, peça sobre Vladimir Herzog, reestreia em São Paulo

“Patética”, peça sobre Vladimir Herzog, reestreia em São Paulo

Censurada pela ditadura militar, a peça Patética, que conta a história do jornalista Vladimir Herzog, ganha uma remontagem neste mês pela Cia. Estável de Teatro. O espetáculo estreou neste sábado, dia 17 de junho, no Teatro Flávio Império. Até 30 de julho, a peça ainda passa pelo Arsenal da Esperança e pela Oficina Cultural Oswald Andrade. A entrada é sempre gratuita.

Escrito pelo cunhado de Vladimir, o dramaturgo João Ribeiro Chaves Neto, um ano após a morte do jornalista, o texto foi vetado na época por ser uma denúncia contra a tortura no País, sendo liberado somente em 1979. A primeira encenação de Patética foi em 1980, em São Paulo, com direção de Celso Nunes.

Usando o metateatro, a trama acompanha uma trupe de artistas circenses que apresenta a história de Glauco Horowitz – na verdade, a história de Herzog – e a luta de sua família para provar que ele havia sido assassinado e não se enforcado. Assim como aconteceu com o texto de Chaves Neto na vida real, a peça dentro da peça termina censurada.

Temporada
Depois da estreia no Teatro Flávio Império, Patética cumpre temporada de 23 de junho a 2 de julho no Arsenal da Esperança, na Mooca, com sessões de sexta a domingo, às 20h.

O espetáculo ainda é apresentado na Oficina Cultural Oswald Andrade, no Bom Retiro, de 6 a 22 de julho (quintas e sextas, às 20h; sábados, às 18h). Por fim, a temporada tem três sessões finais novamente do Teatro Flávio Império: sexta e sábado (28 e 29 de julho), às 20h, e domingo (30), às 19h.