DOE AGORA

Morre em São Paulo o jornalista e escritor Marco Antônio Tavares Coelho

Morre em São Paulo o jornalista e escritor Marco Antônio Tavares Coelho

Último remanescente da cúpula do PCB em 1964, Marco Antônio foi vítima de uma insuficiência renal aos 89 anos 

Morreu em São Paulo, aos 89 anos, o advogado e jornalista mineiro Marco Antônio Tavares Coelho. Nascido em Belo Horizonte, em 1926, ele era o último remanescente da cúpula do PCB em 1964, quando atuou junto com Luiz Carlos Prestes, então secretário-geral do partido. Quando houve o golpe militar no país, destituindo João Goulart, Marco Antônio era deputado federal pelo estado da Guanabara e teve seu mandato cassado. Foi preso e torturado pelo governo militar, época que conta no livro “Herança de um sonho – Memórias de um comunista”, lançado em 2000.

Escritor e especialista em rios, Marco Antônio escreveu diversos livros sobre o tema. O último deles foi “Rio Doce: a Espantosa Evolução de um Vale”, publicado em 2011, que traz um estudo sobre o rio mineiro que agora, tomado pela lama, agoniza depois do rompimento da barragem do Fundão, da mineradora Samarco.

Antes do “Rio Doce”, o jornalista também publicou “Rio das Velhas – Memória e Desafios”, em 2002, e “Os Descaminhos do São Francisco” em 2005, no qual discute os conflitos da transposição do Rio São Francisco.

Marco Antônio trabalhou em jornais de Minas, São Paulo e Goiás. Foi também assessor do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e editor-executivo da revista “Estudos Avançados” da Universidade de São Paulo (USP). Segundo informações de seus familiares, o escritor enfrentou uma insuficiência renal. Ele deixa a esposa Teresa, dois filhos e netos.

Confira abaixo um trecho da participação de Marco Antônio Tavares Coelho no projeto “Os Protagonistas desta História”, realizado pelo IVH em 2011 e que reúne depoimentos de jornalistas que participaram da imprensa alternativa e lutaram contra a ditadura militar.