DOE AGORA

Jornalistas e estudantes brasileiros visitam a África do Sul

Jornalistas e estudantes brasileiros visitam a África do Sul

Entre os dias 28 de abril e 3 de maio, a jornalista pernambucana Ciara Carvalho, do Jornal do Commércio, de Recife, vencedora do 35º Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos na categoria Internet; e as estudantes de jornalismo da Universidade Federal do Paraná (UFPR),  Marina  Mori e Mariana Ceccon, vencedoras do 5º Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, visitaram a África do Sul para um passeio educativo. Integraram o grupo os jornalistas Ana Lúcia Andrade, do Recife; Sergio Gomes, diretor da OBORÉ e membro do Conselho Deliberativo do Instituto Vladimir Herzog; e Ana Luisa Zaniboni Gomes, curadora dos Prêmios Vladimir Herzog e Jovem Jornalista e representante das entidades organizadoras.

Em visita a Pretória, no dia 29, a delegação esteve reunida com Helena Hoedl, diretora local do Centro de Informação das Nações Unidas; Katherine Liao, coordenadora do Escritório Regional Sul Africano do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos; e Tina Ghelli, representante regional do Alto Comissariado das Nações Unidas para Assuntos dos Refugiados. O encontro discutiu a atual situação da África do Sul, que neste ano comemora 20 anos de democracia no país. O grupo abordou também os paralelos entre a África do Sul e o Brasil, países que continuam enfrentando questões relacionadas ao racismo, a desigualdade social, desigualdade de gênero e Aids.

instituto_vladimir_herzog_africadosul_4

Tina, Ana Lúcia, Helene, Marina, Mariana, Katherine, Ana Luisa, Ciara e Sergio no Centro de Informação da ONU em Pretória. A visita dos profissionais brasileiros ao país foi proporcionada pelo Instituto Vladimir Herzog, com apoio do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), uma das entidades organizadoras do Prêmio Vladimir Herzog.

O grupo também visitou a Embaixada Brasileira e foi recebido pelo embaixador Pedro Carneiro de Mendonça, pelo ministro conselheiro Carlos Alfonso Iglesias Puente e pelo primeiro secretário da Embaixada, Gustavo Sénéchal.

instituto_vladimir_herzog_africadosul_5

Ana Lúcia, Mariana, Ciara, Ana Luisa, Embaixador Pedro, Marina e Gustavo. Cerca de 4 mil brasileiros vivem atualmente na África do Sul.   

Em Joanesburgo, dia 30, os jornalistas visitaram o Museu do Apartheid acompanhados de Gustavo Sénéchal, da Embaixada Brasileira. Foram recebidos por sua vice-diretora, Wayde Davy, a quem presentearam com um exemplar da obra Os cartazes desta história, da série Resistir é preciso…, editado em 2012 pelo Instituto Vladimir Herzog.

instituto_vladimir_herzog_africadosul_2

Wayde, Ana Lucia, Ciara, Gustavo e Ana Luisa: lembranças para o acervo do Museu.     

instituto_vladimir_herzog_africadosul_3

Grupo em visita ao Museu do Apartheid. No segundo semestre, a ala dedicada a Nelson Mandela virá ao Brasil em exposição itinerante em cinco capitais (estados ainda em definição).

Acompanhados do historiador indiano Gunvant Govindje, professor aposentado da cadeira de História e Direitos Humanos do Union World College (UWC) e que há mais de trinta anos reside na África do Sul e atua na formação de professores nessas áreas, os visitantes também viram a exposição fotográfica Rise and Fall of Apartheid (Ascensão e Queda do Apartheid), no Museu África, no centro de Joanesburgo. Promovida por iniciativa da Associação dos Repórteres Fotográficos de Nova York em homenagem aos vinte anos da conquista da democracia na África do Sul, a exposição retratou cenas cotidianas do regime de segregação racial que imperou no país por mais de quatro décadas.

instituto_vladimir_herzog_africadosul_6

Ciara, prof. Gunvant, Sergio e Ana Lucia no Museu África. Exposição retoma cenas do cotidiano do Apartheid e vídeos inéditos do funcionamento das Comissões de Reconciliação – fórum de reparação adotado no país onde as vítimas de violência do regime de segregação racial desculpam seus algozes para que seja possível a convivência nas novas regras democráticas.       

Esta é a terceira viagem de estudos especialmente voltada a jornalistas premiados com o troféu Vladimir Herzog. Em 2012, o destino foi Washington e, em 2013, Santiago do Chile. Os participantes são sorteados durante a cerimônia de outubro e realizam a viagem com direito a acompanhante. No caso do Prêmio Jovem Jornalista, os contemplados são o estudante ou a equipe realizadora da melhor matéria, juntamente com o seu professor orientador. Para 2014, a organização prevê um roteiro para Jerusalém, com  visitas ao Museu do Holocausto, centros de pesquisas e universidades. A organização das viagens educativas é mais uma iniciativa do Instituto Vladimir Herzog.