Instituto Vladimir Herzog leva sua coleção para o Google Cultural Institute

Instituto Vladimir Herzog leva sua coleção para o Google Cultural Institute

Instituto Vladimir Herzog e Andhep trazem suas coleções para o Google Cultural Institute; confirme sua presença no evento de lançamento

No próximo dia 9 de setembro, o Google Brasil promoverá o lançamento de duas novas coleções em seuCultural Institute. O Instituto Vladimir Herzog e a ANDHEP – Associação Nacional de Direitos Humanos, Pesquisa e Pós Graduação irão disponibilizar na plataforma os acervos de ‘Resistir é Preciso…’ e ‘Memória Massacre Carandiru’, respectivamente.

A exposição ‘Resistir é Preciso…’, criada pelo Instituto Vladimir Herzog, é um projeto pioneiro, de longo alcance, que apresenta fragmentos da história do Brasil, a partir das publicações e depoimentos de pessoas, entre os quais jornalistas, escritores, estudantes e ativistas políticos, que participaram da resistência à ditadura militar brasileira através da palavra impressa.

rp_t1ROtXE.jpg

Entre 2013 e 2014, exposição “Resistir é Preciso…” recebeu mais de 350 mil visitantes nas quatro cidades em que passou: Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Agora, acervo estará disponível para visitação na internet

O projeto ‘Memória Massacre Carandiru’, realizado por meio de uma parceria do Núcleo de Estudos sobre o Crime e Pena da FGV-SP com a ANDHEP, reúne processos civis e criminais, reportagens de jornais e revistas, fotos e manifestações artísticas sobre o massacre ocorrido no Complexo Penitenciário do Carandiru em 2 de outubro de 1992.

“Os dois acervos abordam tópicos ligados à preservação da memória, à liberdade de expressão e à violação de direitos humanos. A inclusão na plataforma do Cultural Institute aumenta exponencialmente o alcance dessas exibições, que estarão disponíveis a qualquer pessoa com acesso à internet, e reforça a importância de se refletir sobre questões essenciais que não podem nem devem ser esquecidas”, diz Alessandro Germano, diretor de parcerias do Google Brasil.

“A mostra ‘Resistir é Preciso…’ teve mais de 350 mil visitantes, entre 2013 e 2014, quando foi exposta em quatro capitais brasileiras. O conteúdo digital permite que o mundo tenha acesso a um expressivo conjunto de obras de arte e documentos históricos que mostram a voz ativa da classe artística brasileira contra a opressão da ditadura militar. A tecnologia é uma aliada para que todos, sobretudo os jovens, possam conhecer as lutas para reconstrução da democracia, ocorridas entre as décadas de 1960 e 1980. Esta é uma forma de evitar que atrocidades jamais se repitam”, afirma Ivo Herzog, diretor executivo do Instituto Vladimir Herzog.

O evento
O lançamento será realizado em um evento para convidados, na sede do Google Brasil. Haverá breves apresentações dos dirigentes das instituições parceiras sobre suas coleções, seguidas de um debate sobre o tema ‘Memória, imprensa e sérias violações aos direitos humanos na era digital’. A mesa redonda será composta por Ivo Herzog, diretor executivo do Instituto Vladimir Herzog, Guilherme de Almeida, presidente da ANDHEP, o escritor e jornalista Marcelo Rubens Paiva e Pedro Lagatta, pesquisador doNúcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo, com mediação de Patrícia Blanco, presidente do Instituto Palavra Aberta, apoiador do evento.

Programação:
10h00 – Café da Manhã
10h30 – Apresentação Google Cultural Institute – por Alessandro Germano
10h40 – Apresentação ANDHEP – por Guilherme Almeida
10h50 – Apresentação Instituto Vladimir Herzog – por Ivo Herzog
11h00 – Mesa Redonda: ‘Memória, imprensa e sérias violações aos direitos humanos na era digital’

Sobre o Google Cultural Institute
O Google Cultural Institute dedica-se a criação de tecnologia capaz de auxiliar a comunidade cultural a reunir artefatos de várias instituições ao redor do mundo, junto com as histórias que os tornam importantes, em um museu virtual. A idéia é que os tesouros da cultura estejam sempre à mão de milhões de internautas em todo o mundo e que, dessa maneira, o acesso a esse conteúdo seja mais democrático e que seja possível eternizar essas obras para as gerações futuras.

O Instituto já possui mais de 800 parceiros e mais de 170 mil obras de artes em sua plataforma. As duas novas coleções que serão lançadas em setembro trazem a tona temas importantes para a comunidade e que merecem destaque e espaço nessa memória digital.

Sobre a Andhep
A Associação Nacional de Direitos Humanos, Pesquisa e Pós- Graduação foi fundada em junho de 2003, em Brasília, com a finalidade principal de contribuir para a formação de uma comunidade de pesquisadores especializados em Direitos Humanos, seguindo os moldes de outras associações científicas congêneres.

Entre os principais objetivos da Andhep estão: promover o avanço da pesquisa, do corpo de pesquisadores e do ensino de direitos humanos, em pós graduação; auxiliar na formulação e implementação de políticas de ciência e tecnologia, de educação e de pesquisa, que afetem o domínio dos Direitos Humanos e auxiliar a formulação e implementação de políticas de proteção e/ou promoção de Direitos Humanos.

Sobre o Instituto Palavra Aberta
O Instituto Palavra Aberta promove a liberdade de expressão e informação manifestada na liberdade de imprensa, na liberdade de expressão comercial e na livre iniciativa como pilar fundamental de uma sociedade avançada e sustentável.

Confirme sua presença aqui.

unnamed

Compartilhe
Compartilhe este artigo: Facebook Twitter Pinterest Google Plus StumbleUpon Reddit RSS Email

Posts Relacionado

Deixe um Comentrio


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>