DOE AGORA

Câmara aprova projeto que torna Dom Hélder Patrono dos Direitos Humanos

Câmara aprova projeto que torna Dom Hélder Patrono dos Direitos Humanos

Dom Hélder foi indicado ao Prêmio Nobel da Paz em 1972

Com informações da Agência Câmara de Notícias

A Comissão de Constituição e Justiça aprovou projeto que declara Dom Hélder Câmara “Patrono Brasileiro dos Direitos Humanos” (PL 7230/14). A proposta, do deputado Arnaldo Jordy, do PPS Paraense, segue agora para análise do Senado.

Dom Hélder Câmara começou a vida religiosa como padre aos 22 anos, em Fortaleza, Ceará. Engajado na questão social brasileira, ele foi ordenado bispo do Rio de Janeiro aos 43 anos e pouco tempo depois articulou seu plano de criar a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, a CNBB. Dom Hélder voltou ao Nordeste como arcebispo de Olinda e Recife em 1964, início da ditadura no País. Nesse período, reforçou sua luta em favor dos perseguidos políticos e sofreu retaliações do regime militar.

O relator, deputado Luiz Couto, do PT Paraibano, é favorável à medida. Segundo ele, a vida religiosa de dom Hélder Câmara foi marcada por valores pacifistas que hoje precisam ser resgatados.

“O testemunho dele em favor dos oprimidos, dos excluídos e dos marginalizados, ou seja, dando suporte no tempo da ditadura àqueles que eram perseguidos, ameaçados, mortos e de seus familiares. Então mostra um homem que na realidade mostra que é um pastor mesmo. Um pastor que cuida de suas ovelhas, que vai ao encontro delas e que dialoga.”

Dom Leonardo Steiner, secretário geral da CNBB, elogiou o projeto que homenageia o religioso brasileiro.

“Para a Igreja no Brasil, dom Helder Câmara é um ícone. Um ícone do serviço aos pobres. Um ícone de serviço à sociedade brasileira. Nós damos graças a Deus que Dom Hélder Câmara já declarado servo de Deus, portanto se iniciou o processo de beatificação, e nós esperamos que no futuro, Dom Hélder Câmara também esteja em nossos altares.”

Em abril deste ano, o Vaticano autorizou o processo de beatificação de Dom Hélder Câmara. Uma proposta (REQ) para homenageá-lo deve ser apresentada no próximo semestre pelo deputado Luiz Couto. A ideia é falar das dimensões da vida e da história do religioso por meio de seminário com a presença de bispos, teólogos e especialistas.