DOE AGORA

Alunos vencedores do PJJ começam a produzir suas matérias

Alunos vencedores do PJJ começam a produzir suas matérias

Auxiliados pelos professores orientadores e pelos jornalistas mentores, estudantes produzirão as matérias indicadas nas pautas até o dia 20 de setembro

Após o anúncio das três pautas vencedoras da 7ª edição do Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, os estudantes selecionados entraram no processo de realização das pautas. Auxiliados por seus professores orientadores e pelos jornalistas mentores designados pela organização do prêmio, os alunos têm até o dia 20 de setembro para produzir as matérias.

Aluna da Universidade do Vale do Rio Sinos (Unisinos), em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, Joyce Heurich está produzindo um documentário de TV sobre um processo por dano moral sofrido pelo “Jornal Já”. “Até agora já ouvimos cinco pessoas ligadas ao caso, entre elas o desembargador relator do processo. Ainda serão ouvidas outras pessoas, entre elas a advogada da Artigo 19, organização ligada à defesa da liberdade de expressão, que denunciou a condenação do jornal à Corte Interamericana de Direitos Humanos”, conta a estudante.

A cobertura jornalística de dez mortes ocorridas em março de 2015 na zona sul de São Paulo foi a pauta escolhida por Lucas Martins, Mateus Carvalho e Marcelo de Souza, alunos da Universidade Presbiteriana Mackenzie, de São Paulo. Durante o processo, os alunos foram surpreendidos e descobriram informações que não contavam na proposta de pauta inicial: “O desenvolvimento da pauta nos colocou em contato com uma organização comunitária que não imaginávamos antes do processo. A comunidade já conta com pessoas engajadas na luta pela diminuição da violência na região conhecida como ’campeã de mortes’”, revela Lucas.

Com pouco mais de um mês para finalizar suas matérias, os alunos já consideram o processo proveitoso. “A construção do documentário está sendo feita em equipe, o que tem enriquecido muito o processo, uma vez que se trabalham pontos de vistas diferentes”, celebra Joyce, que também revela mudanças no rumo da apuração da pauta, algo comum no jornalismo:  “Fizemos contato com fontes que não quiseram se pronunciar sobre o caso. Isso alterou o rumo do documentário, assim como o conteúdo de cada depoimento que obtivemos. Essas descobertas revelam o lado bacana de se fazer um documentário”.

As matérias deverão ser entregues pelos grupos até o dia 20 de setembro, acompanhadas de um resumo detalhando o processo de produção. A melhor matéria será escolhida pelo júri e divulgada apenas no dia 20 de outubro, durante a cerimônia de entrega do Prêmio, no TUCA, em São Paulo.